“As artes sempre permearam a minha existência”

Por Melissa Carvalho

A música é o grande guia na vida de Luis Carlos Prata, 54. Formado em música, Prata atua como regente do Coral da Universidade de Fortaleza (Unifor). Nascido em Maranguape, ele veio para Fortaleza aos 14 anos de idade para estudar. Tentou cursar jornalismo, mas desistiu no primeiro semestre quando conheceu o coral da Universidade do Ceará (UFC). ”Eu me encantei pelo mundo das artes”, recorda.

Desde que concluiu a faculdade de música, em 1990, Prata seguiu pelos caminhos da regência. A partir do primeiro semestre, atuou profissionalmente na área de corais corporativos. Os coros da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) e dos Correios foram os primeiros que Prata atuou na regência. Outras grandes empresas, como a Caixa Econômica e o Banco do Nordeste, também fazem parte do longo histórico de maestro em corais corporativos.  O músico já chegou a comandar sete corais ao mesmo tempo. “Naquele tempo, nos anos 1990, estava tendo uma efervescência muito grande do movimento coral, em Fortaleza. Hoje, esse movimento ainda está tentando se estabilizar e sobreviver”, relata.

Outras experiências

Depois de formado, o regente fez alguns cursos de férias na Itália para aperfeiçoar a técnica vocal, nas cidade de Florença e Torino. Apesar da experiência engrandecedora, Prata decidiu voltar para Fortaleza e continuar com o trabalho de regência de coros. Na Europa não existia investimentos em corais laborais corporativos e Prata sabia que se continuasse no exterior seria apenas mais um músico. “Eu usava muito uma expressão que dizia: ‘eu prefiro ser um deus na aldeia do que mais um em Roma’, como teria dito César”, lembra.

Em 2000, Prata iniciou a faculdade de fonoaudiologia. Como atua como preparador vocal, o regente sentiu a necessidade de uma adequação técnica. Quase na metade do curso, foi preciso trancar a faculdade por não conseguir conciliá-las com a regência.

A ligação com a arte que vai além da música

Prata lembra que sempre teve uma proximidade com a arte. Quando criança era sempre escolhido para atividades para apresentar na escola ou igreja. “Eu acredito que as artes sempre permearam a minha existência, de uma forma bem natural, bem espontânea”, reflete. Além da música, o regente sempre teve habilidades para desenho, praticou dança clássica por sete anos e, quando entrou na universidade, fez mais dois anos de dança folclórica paralelo ao curso. “As Ciências da Saúde e Exatas nunca foram a minha praia”, admite.

Coral da Unifor

Luis Carlos Prta, regente d Unifor. Foto: Lucas Barbosa.

Desde 2016, o regente está à frente do coral da Unifor, um dos seis grupos culturais da universidade e incentiva a atividade musical do canto. Em sua trajetória, o coro da Unifor teve uma postura muito tradicional. Com a mudanças de regentes, o coral ganhou traços contemporâneos em seu repertório.

Uma das vontades de Prata, como regente na Unifor, é trabalhar com montagens de espetáculos, por acreditar que a música além de ser ouvida, também deve ser vista.  “Essa é uma vontade pulsante no coração dos meninos. Eu sempre fui muito simpático e adepto à coros cênicos”, confessa. Conta que, além de comandar o coral, auxilia os outros grupos culturais da Unifor como preparador vocal. “Nós tentamos trabalhar na melhor harmonia possível”, relata.

O coral da universidade é formado por alunos, funcionários e pessoas da comunidade próxima. As apresentações acontecem na universidade, em Encontros de Corais e eventos particulares, quando são convidados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php