Maratoninha de Fortaleza recebe atletas mirins especiais

Por Letícia de Medeiros

Foi realizado, no último domingo (16), a 12ª edição do Circuito Caixa de Maratoninha de Fortaleza. Esta é a 18ª edição da Maratoninha do ano de 2018 e está dando continuidade ao Circuito pelo Nordeste. A edição contou com 1400 atletas mirins de 5 a 12 anos e teve como padrinho o medalhista olímpico André Domingos. “Esse evento acontece desde 2007 aqui, em Fortaleza, e nós abrimos no site para que seja aberto ao público. Mas ele é voltado principalmente para as crianças de instituições sociais, estimulando a cultura do esporte para essas crianças”, explica o assistente de marketing e comunicação da Caixa, Henrique Leal, 39.  

“Ele [o evento] é voltado principalmente para as crianças de instituições sociais, estimulando a cultura do esporte para essas crianças” (Henrique Leal)

“Todo atleta medalhista, quando se aposenta, entra para um programa da Caixa chamado Heróis Olímpicos. A nossa partida com a Caixa Econômica Federal é viajar o Brasil inteiro com os eventos, palestras em universidades, nas corridas, maratoninhas, inúmeros eventos que damos a nossa colaboração”, explica o medalhista olímpico e padrinho da Maratoninha, André Domingos, 45.

Um dos circuitos são crianças de bicicleta. Foto: Letícia Medeiros

Domingos é especialista em provas de curta distância e fez parte da seleção brasileira antes dos 20 anos de idade. “É uma valorização muito importante ser chamado para ser padrinho dessa maratoninha. Mantém a nossa história viva e dá oportunidade de outros conhecerem um ídolo que está distante”, declara o atleta.

As baterias acontecem pelas categorias de cinco a sete anos, de oito a dez e 11 a 12 anos. Cada bateria conta com 10 crianças e é dividida por meninos e meninas. Além das diferentes idades, o Circuito contou com crianças especiais de deficiência física e síndrome de Down, vindas de instituições sociais que cuidam da parte de integração no esporte e na educação. No trajeto, alguns percorreram metade do trajeto normal, porém houve uma bateria de especiais que decidiu atravessar todo o circuito.

Este ano, a maratoninha, que foi a realizada no Centro Administrativo Virgílio Távora,  estreou a categoria da “Maratoninha sobre rodas” no circuito em Fortaleza, que já existia em outros circuitos pelo Brasil, variando o número de baterias da corrida de bike pela cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php