Amy Winehouse e sua trajetória dramática de vida

Por Letícia de Medeiros

Considerada uma mulher de voz marcante, letras fortes e pessoais, a cantora britânica de soul, jazz e R&B, Amy Winehouse esteve na pressão de estar em evidência nos palcos durante grande parte da sua vida. Hoje, a cantora estaria completando 35 anos de vida.

Amy faleceu com dois discos lançados e mais de 4 milhões de discos vendidos, sendo sempre muito bem avaliada pela crítica especializada e por profissionais. A cantora fez diferença na música britânica por causa de sua personalidade e pensamentos sempre retratados em suas canções.

Sua história

Amy Winehouse na juventude. Foto: Reprodução

Nascida em Londres, na Inglaterra, no dia 14 de setembro de 1983, Amy Jade Winehouse nasceu em uma família com forte influência no jazz. Aos nove anos, foi aconselhada a entrar em uma escola particular de artes, para que pudesse desenvolver adequadamente sua voz. Fundou uma banda de rap amadora aos dez anos com sua amiga Juliette Ashby, quando aprendeu a tocar guitarra.

Aos 15 anos, começou a compor suas músicas e a cantar em bares de jazz em Londres até que, aos 20 anos, lançou seu primeiro single com Stronger than me, em 6 de outubro de 2003. No dia 20 do mesmo mês, lançou seu álbum, Frank. Entre 2003 e 2004, Amy Winehouse realizou diversas apresentações em casas de espetáculos e programas de televisão.

Antes de começar sua carreira, Amy já havia começado a se envolver com substâncias psicoativas com 14 anos e aos 15 desenvolveu bulimia, que nunca foi tratada corretamente por sua família ter imaginado que seria algo passageiro.

Carreira

O álbum Frank, de 2008, rendeu à cantora o disco de platina triplo concedido pela Indústria Fonográfica Britânica, registrando tiragem de mais de 900 mil cópias no Reino Unido. O álbum teve singles como Stronger than me, Take the box, In my bed/You sent me flying e Pumps/Help yourself.

Porém, foi com o seu segundo disco de carreira Back to black, lançado em 2006, que Winehouse ficou mais conhecida pela sua forma emotiva de cantar e falar sobre seus anseios, pois falou abertamente sobre seu relacionamento conturbado com Blake Fielder-Civil e seu uso descontrolado de drogas. A cantora escreveu, cantou e gravou seus clipes com o intuito de mostrar a dor que sentia pela sua dependência das drogas e com seu relacionamento. Na música Rehab, que foi escrita em menos de seis horas no estúdio com o produtor Mark Ronson, Amy fala sobre a insistência de seu pai Mitch Winehouse em  levá-la para uma clínica de reabilitação.

Seu segundo álbum entrou para a lista dos registros mais bem vendidos em nível global. Foto: Reprodução

Amy Winehouse faleceu aos 27 anos não só por causa de seus problemas com o uso excessivo de álcool e drogas, mas também pela sua bulimia, da qual, segundo seu irmão Alex Winehouse, ela nunca esteve curada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php