5+ musicais no cinema

Por Marta Negreiros

Os musicais são apresentações artísticas que entrelaçam atuação, música e dança para desenvolver o enredo de uma história. Embora seja mais comum no teatro, como os famosos e reconhecidos mundialmente musicais da Broadway, o cinema também adotou o gênero e já lançou nas telonas muitos musicais clássicos, que marcaram a história cinematográfica. O Jornalismo NIC trouxe 5 exemplos para relembrar esses sucessos, confira:

A noviça rebelde

Primeiramente adaptado para uma peça da Broadway, em 1959, baseado no livro de memórias “The Story of the Trapp Family Singers” (“A história dos cantores da família Trapp”, em tradução livre para o português), escrito por Maria von Trapp. A famosa história da família Von Trapp foi adaptada para as telonas em 1965 e ficou ainda mais conhecida mundo afora. O enredo é ambientado na Áustria, no final da década de 1930, período em que o nazismo estava prestes a se instaurar no país. A protagonista Maria (Julie Andrews), é uma noviça que mora em um convento de normas severas, que ela nem sempre consegue seguir. Por isso, foi enviada para ser governanta dos sete filhos do capitão Georg Von Trapp (Christopher Plummer), viúvo que educava as crianças com rigor militar. A chegada de Maria muda a rotina da família. O Capitão e os filhos se encantam pela moça, que acaba se tornando esposa de Georg. O drama começa quando os nazistas dominam o país e o Capitão é convocado para servir na marinha alemã e a família passa por muitos desafios para permanecer unida. A trama enfatiza a importância dessa união em todo decorrer do filme.

 

Grease, nos tempos da brilhantina

O filme de 1978 retrata a vida de adolescentes da Califórnia na década de 1960, com muita música e romance, em uma pegada mais pop. A história de amor de Sandy (Olivia Newton-John)  e Danny (John Travolta)  é um clássico conhecido pelo mundo inteiro. A trilha sonora que embala o drama que envolve o casal e seus amigos é uma das mais marcantes da história. Sucessos como “Summer nights” e “You’re the one that I want” (“Noites de verão” e “Você é quem eu quero”, respectivamente, em traduções livres para o português) ganharam versões em diversas línguas e se perpetuaram até os dias de hoje. O amor de verão de Sandy e Danny começa na praia, durante as férias, e eles temem o fim do relacionamento quando vão precisar voltar às aulas, já que Sandy mora na Austrália. Porém, os pais da moça mudam os planos e acabam ficando na Califórnia e os dois acabam frequentando a mesma escola. Danny tem uma reputação de playboy descolado a zelar e, quando descobre que Sandy, toda apaixonada, está na escola, acaba a esnobando na frente de seus amigos. Os dois levam estilos de vida muito diferentes, vários problemas acontecem por causa disso. Depois de muitas idas e vindas, o casal consegue superar suas diferenças e os dois passam por grandes transformações para poder ficar juntos.

 

Mamma Mia

Outra adaptação dos palcos da Broadway para o cinema foi “Mamma Mia”, que estreou em 2008 trazendo um grande nome da atuação como protagonista, Meryl Streep, no papel de Donna Sheridan. A história se passa na Grécia, onde Sophie (Amanda Seyfried), filha de Donna, está prestes a se casar. A garota nunca soube a identidade do pai, então resolve convidar os três ex’s namorados da mãe para o casamento, sem ela saber, e tentar descobrir qual deles é o seu pai. Os três vão ao encontro de seu antigo amor, Donna, embalados ao som de uma trilha sonora atemporal. O sucesso cinematográfico foi tão grande que ganhou continuação. Em 20 de Julho de 2018 estreou nos Estados Unidos, “Mamma Mia: Here We Go Again” (“Mamma Mia: aqui vamos nós de novo”, em tradução livre para o português), que foi recebido pelo público tão bem quanto o primeiro filme.

 

Os Miseráveis

A grande estrela da premiação do Oscar de 2013, “Os Miseráveis”, estreou em 2012, recebeu oito indicações ao prêmio e saiu vencedor em três categorias. Anne Hathaway, que interpreta Fantine, uma das protagonistas, ganhou o Oscar de melhor atriz. O filme foi baseado no musical de mesmo nome, inspirado no romance francês de 1862 escrito por Victor Hugo. A história de Jean Valjean (Hugh Jackman) é o enfoque central da trama. O protagonista de origem pobre precisa cometer um pequeno furto para alimentar a família e acaba sendo preso. Depois de várias tentativas de fuga, Jean cumpre 19 anos de punição e continua sendo perseguido.

Do outro lado da França, Fantine enfrenta problemas com a filha, Cosette (Isabelle Allen). Em busca de um emprego a moça viaja para o interior do país, deixando a filha sob os cuidados de um casal conhecido, os Thénardier, que maltratam e escravizam a criança. Fantine começa a trabalhar em uma fábrica, mas as coisas se complicam quando um funcionário descobre que ela tem uma filha ilegítima. A moça enfrenta diversas situações desumanas, adoece e, depois disso, acaba conhecendo Jean, enquanto o mesmo continua perseguido. O filme expõe a pobreza, a miséria, a exploração de crianças e o abandono dos idosos. E une, em uma mesma narrativa, conceitos históricos, filosóficos e sociais.

 

Moulin Rouge

O romance musical estreou em 2001 e foi inspirado essencialmente por três óperas: “La bohème de Giacomo Puccini”, “La traviata de Giuseppe Verdi” e “Orphée aux enfers de Jacques Offenbach” (A boêmia, A mulher caída e Orpheus no submundo, respectivamente, em traduções livres para o português). A história se passa no final do século XIX e conta a história de Christian (Ewan McGregor), um poeta. O jovem desafia o pai e se muda para Montmartre, que fica em Paris, um lugar  boêmio e cheio de poesia. Lá, ele acaba sendo levado para o Moulin Rouge, um salão de dança e bordel. Christian acaba se apaixonando por uma das dançarinas de CanCan, Satine (Nicole Kidman) e sua vida muda completamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php