Assessoria: o caminho para a nova comunicação

Por Layo Lucena

Janayde é professora da Unifor. Foto: Arquivo Pessoal

A assessoria de imprensa é um das funções do jornalismo voltada para a comunicação das organizações públicas e privadas. Sua principal tarefa é tratar da gestão do relacionamento entre pessoa física, entidade, empresa ou órgão público e imprensa. Janayde de Castro, 33, professora da disciplina de Assessoria de Imprensa do curso de Jornalismo da Universidade de Fortaleza (Unifor), define as funções do assessor como “um jornalista formado em Comunicação Social, que vai atuar em diversas organizações, tanto privadas e públicas, como em instituições não governamentais”. Segundo Janayde, o assessor tem o papel de cuidar da imagem física e jurídica de uma personalidade ou instituição.

Nesse cenário, a função do assessor é construir um bom relacionamento com os jornalistas e tornar-se uma fonte confiável. Assim, segundo Manuel Cruz, 29, assessor de comunicação da Prefeitura da Cidade de Sobral e ex-aluno do curso de Jornalismo da Unifor, o profissional de assessoria trabalha para que as notícias de seu assessorado apareçam na mídia e tragam mais visibilidade.

Uyara Bernardo de Sena, 35, assessora de comunicação da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (ETUFOR) e também ex-aluna do Jornalismo da Unifor, considera a relação do assessor com a mídia uma parceria. “Resumidamente, a nossa função como profissional é realizar a mediação entre os nossos assessorados e a mídia, facilitando a comunicação”, afirma. De acordo com Uyara, desta forma, é possível promover, esclarecer e tornar pública a atuação dos clientes.

“A nossa função como profissional é realizar a mediação entre os nossos assessorados e a mídia, facilitando a comunicação” (Uyara Bernardo de Sena)

“No entanto, devemos perceber que o papel do assessor não está limitado somente junto à imprensa”, conta Uyara. Em uma empresa ou órgão público, geralmente, existe a função do assessor de comunicação, que favorece a construção de pautas junto à imprensa, mas também, facilita a comunicação interna. Dessa forma, “o profissional participa das campanhas publicitárias, dos eventos, entre outras funções”, declara a assessora.

Mercado

Com a ascensão das redes sociais na internet, a profissão, de forma geral, tem mudado devido à democratização dos canais de comunicação. Isso exigiu uma reconfiguração da Assessoria de Imprensa. Assim, a figura do assessor de imprensa se torna mais abrangente, tornando-o um profissional de comunicação.

Ana Maria Xavier é assessora da FIEC. Foto: Layo Lucena

“Eu vejo que o mercado está em mutação”, conta Ana Maria Xavier, 49, assessora do Sistema de Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), formada em Comunicação pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Atualmente, as empresas precisam lidar com a comunicação de uma forma responsável, pois o volume de mídia aumentou nos últimos anos. Por isso, “há uma necessidade de um profissional de comunicação, que tenha um olhar mais amplo e que saiba lidar com a rede de comunicação”, declara Ana Maria. “É um mercado em ascensão se o profissional souber se posicionar diante das mudanças que tem passado”, conta.  

Mauro Costa, 45, formado em Comunicação, sócio e diretor da AD2M Engenharia de Comunicação, trabalha na comunicação há mais de 25 anos. Ele acredita que “o mercado está muito concorrido, mas emergente, com grandes oportunidades”. Segundo Costa, atualmente, o assessor é um conector de relacionamentos. Por isso, o profissional da Comunicação precisa estar sempre capacitado.

Dificuldades da profissão

Para a professora Janayde de Castro, o maior problema é a violação do código de ética. “O assessor deve receber uma remuneração diferenciada de jornalistas que atuam em outras funções, como redatores, por exemplo”, afirma. De acordo com Janayde, o assessor tem que ter uma disponibilidade maior, além disso, é um cargo de confiança. Porém, segundo ela, muitas vezes, as assessorias empregam profissionais em desacordo com o piso salarial.

Mauro Costa diz que “uma das dificuldades da carreira é o gerenciamento do tempo, pois as informações estão fluindo de maneira mais rápida”. Segundo ele, o profissional está sempre muito pressionado para não perder as notícias, e, com isso, perder a divulgação. “Por isso, [é necessário] sempre contar com uma equipe bem preparada e competente”, afirma o assessor. Confira um pouco da opinião de Mauro Costa:

 

Ana Maria acredita que a dificuldade da assessoria é a compreensão, por parte do profissional de comunicação, dos deveres de um assessor. “O maior desafio é filtrar, traduzir aquilo que for importante para a opinião pública”, diz. De acordo com ela, o assessor deve ser o mediador entre a empresa e o público.

Unifor e o curso de comunicação social    

O curso de Jornalismo na Unifor forma jornalistas para o mercado há 18 anos. “São muitas disciplinas e laboratórios específicos que capacitam os estudantes a realizarem todos os produtos em assessoria de comunicação”, descreve a professora Janayde de Castro

Manuel Cruz, que fez parte do Núcleo Integrado de Comunicação (NIC) em 2012 e logo depois ingressou no Diário do Nordeste como repórter, afirma que “o curso de Jornalismo da Unifor prepara o aluno para se tornar um profissional diferenciado no mercado”. Além disso, outro ponto forte da Universidade, segundo Cruz, é o NIC, onde trabalhou por um ano. “Lá [no NIC] o aluno tem a possibilidade de ter a experiência completa da profissão, criar, editar e gravar reportagens para os mais diversos veículos”, completa.

“O curso de Jornalismo da Unifor mostra uma visão ampliada do mercado e da profissão de assessor”, afirma Uyara Bernardo, que teve a oportunidade de estagiar em alguns órgãos governamentais, na área da política e em ONG’S. “Eu cheguei imatura, nunca tinha percebido o papel que a necessidade de uma atuação integrada de comunicação é importante por meio da Assessoria de Imprensa”, declara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php