Cosplay, o hobby que dá vida aos personagens da ficção

Por Mateus Moura

Durante os três dias (27,28,29 de julho) da Super Amostra Nacional de Animes (Sana), transitaram pelos corredores do evento uma grande variedade de cosplays, desde personagens de séries como “La Casa de Papel” a protagonistas de filmes, como Jack Sparrow, de “Piratas do Caribe”. O ato de se fantasiar e interpretar personagens vem ganhando força e crescendo a cada ano. É comum, principalmente em eventos de cultura pop, pessoas de todas idades se inspirarem em personagens de seriados, animes e filmes, tornando-se, eles mesmos, atrações.

Carlos Avner e Giovanna Karen, vencedores do Cosplay Insana. Foto: divulgação/Sana.

O Cosplay InSana, concurso organizado no último dia do evento,  mostrou performances de diversos personagens. Em meio às apresentações, Carlos Avner e Giovanna Karen se destacaram com os personagens principais do filme “Como Treinar seu Dragão” e ganharam o primeiro lugar. A premiação garantiu aos vencedores uma viagem para Orlando, com tudo pago. Em agradecimento nas redes sociais, Avner destacou que, apesar das dificuldades, o amor falou mais alto. “Ver o pessoal e os amigos durante o evento nos motivou e podemos sentir a energia de todos que estavam nos apoiando, tanto de amigos, conhecidos como do próprio público que veio nos elogiar”, compartilha.

Algumas fantasias são complexas, necessitando de muita dedicação e, em alguns casos,  podem demorar meses para serem finalizadas. Jailson Pereira, 29, conta sobre o processo de produção para a maquiagem do Chapeleiro Maluco, do filme “Alice no País das Maravilhas”. “Minha maior dificuldade foi com a maquiagem. Precisei passar um mês treinando a maquiagem para ficar perfeita no dia do evento”, admite.

Inspirados no anime japonês “Death Note”, Guilherme Moura, 21, e Jennifer de Fonseca, 17, resolveram se caracterizar como Misa Amane e L. Para Guilherme, que já participa do Sana há dez anos, “é sempre uma diversão, apesar de eu vir mais para a área de games, também gosto da parte de animes”. Jennifer tem menos tempo, começou a frequentar o Sana há dois anos. “Eu venho mais por conta dos meus amigos. Eu gosto do ambiente e também de tirar fotos com outros cosplays”, comenta.

Determinados grupos chegam por meio de caravanas, de várias cidades do Nordeste. Foi o caso de Letícia Moura, 16, que veio de Recife e se surpreendeu com o evento. “É bem diferente dos eventos de Recife, aqui tem muito mais pessoas e todo mundo é muito legal”, conta. Mas, nem tudo foi tão fácil para Letícia, que afirma ter chorado pelas dificuldades na produção de sua roupa. “A produção foi bem demorada, tinham algumas peças que eu achei que não ficariam prontas até a viagem, mas consegui terminar tudo na última semana. Foi bem corrido. Eu comecei a planejá-la desde janeiro deste ano, com ajuda da minha avó e alguns amigos”, relata.

Carolina Moura e Luciana Moura. Foto: Mateus Moura.

A atividade também é feita em família. Muitos pais costumam levar os filhos e, em muitos casos, até se fantasiam juntos. Luciana Moura, 49, psiquiatra e sua filha Carolina, 16, estudante, já frequentam eventos do tipo há 4 anos, e, nessa edição, resolveram se figurar como Mario e Luigi. “Ela [Carolina] adora a Nintendo, é fã dos jogos do Mario, e, com a chegada do Sana, para acompanhá-la e não ficar desfigurada, fiz a roupa junto com ela”, explica.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php