“A viagem de Chihiro”, uma crítica à sociedade japonesa

Por Layo Lucena

Capa do DVD do filme de 2002. Foto: Reprodução

O enredo segue a protagonista Chihiro, uma garota que acaba de se mudar com seus pais para uma nova cidade. A menina, que a todo instante reclama desta mudança, segue seus pais quando resolvem entrar em um túnel que encontram no caminho. Esta passagem os leva para um outro mundo. Lá, encontram diversas estruturas estranhas e uma espécie de feirinha deserta, onde acham comida.

Os pais da garota passam a comer tudo que está à disposição, enquanto Chihiro, com medo, começa a caminhar pelo local aparentemente macabro. Os pais da menina acabam transformados em porcos e a menina precisa se esconder dos perigos que a cercam. Nesse momento, a garota conhece Haku, um garoto de olhos verdes que tem poderes mágicos e que adverte que este mundo não é para humanos.  Por meio da ajuda de boas pessoas que existem nesse lugar, Chihiro consegue chegar à Yubaba, uma bruxa escravagista que pode lhe dar um emprego em sua casa de banhos para espíritos.

Uma animação para crianças?

Personagens principais do longa: Sombra, Chihiro e bruxa Yubaba (esquerda para a direita). Foto: Reprodução

Apesar de ser uma animação, quem mais vai entender o filme é o público adulto, pelo fato de que estes talvez consigam perceber a trama do filme de uma melhor maneira e, com isso, aproveitar mais a experiência. Por exemplo, uma criança não entenderia a crítica que é feita na animação, a do trabalho infantil, pois Chihiro tem que trabalhar se quiser sobreviver.

Outra crítica implícita no longa é sobre o mercado sexual no Japão e como as crianças estão expostas. Chihiro vai trabalhar numa “Casa de Banho” e estas eram usadas por homens, para serem lavados e atendidos por mulheres. Uma parte chocante do filme é quando aparece o “sem rosto”, um personagem fantasma preto de máscara. Durante o longa, ele persegue e oferece ouro para comprar a protagonista.

“A viagem de Chihiro” (Sen to Chihiro no kamikakushi, 2001) foi vencedor do Urso de Ouro do Festival de Cinema de Berlim e do Oscar de 2003 de melhor longa-metragem de animação. De autoria de Hayao Miyazaki, um dos mais aclamados animadores japoneses, o filme arrecadou mais de $274 milhões de dólares, uma das maiores bilheterias do Japão.

Confira o trailer:

 

Ficha técnica

Título: Sen to Chihiro no kamikakushi

Autor: Hayao Miyazaki

Ano: 2001

Duração:124 minutos

Gênero: Animação, Fantasia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php