Ensinando e aprendendo, o lema que virou missão

Por Lígia Grillo e Melissa Carvalho

“Ensinar é um mix de prazer e desafios”, enfatiza Davi Rocha, professor de publicidade e ex-aluno da Universidade de Fortaleza (Unifor). A tarefa do professor vai além dos conteúdos explicados em sala de aula. A troca de experiências com os estudantes e as histórias de professores que já percorreram os corredores da instituição como alunos, e hoje atuam na docência, mostram como o lema “Ensinando e aprendendo” tem funcionado ao longo desses anos.

A Unifor completou 45 anos na semana passada, sendo a melhor universidade Norte/Nordeste, de acordo com o Ranking Universitário do jornal A Folha de São Paulo. O Jornalismo NIC, em comemoração, reuniu histórias de alunos que se tornaram professores. Um especial que irá agrupar personalidades de todos os centros da Universidade: Centro de Comunicação e Gestão (CCG), Centro de Ciências da Saúde (CCS), Centro de Ciências Jurídicas (CCJ) e Centro de Ciências Tecnológicas (CCT).

“Eu acho que a gente aprende muito mais do que ensina”

Mariana Fontenele, 30, professora do curso de Jornalismo. Foto: FotoNIC

Mariana Fontenele, 30, professora do curso de Jornalismo, foi estudante da Unifor entre 2006 e 2010. Atuou como jornalista e assessora de imprensa, mas, desde a graduação, mostrou grande apreço pela docência. Apesar de não ter planejado se tornar professora, durante a formação se dedicou à área de pesquisa, participou de eventos do curso e de grupos de estudo. Hoje, como docente, observa a diferença entre os alunos. “Não sei se é porque a gente se considera de outra geração. Na minha época, a gente ainda não tinha tão forte a questão do celular, das redes e  mídias sociais, apesar de já existir. Isso acaba modificando tanto o comportamento e a interação dos alunos. Muda completamente a comunicação e reflete no próprio jornalismo. Não enxergo pior nem melhor, apenas diferente”, analisa.

Além da mudanças de costume entre os alunos, Mariana ressalta a evolução da estrutura dentro da instituição, comparando a diferença do laboratório de Jornalismo, que se uniu com a Publicidade e se tornou no Núcleo Integrado de Comunicação (NIC) na época em que ainda era aluna. A professora revela o privilégio de estar em sala de aula, trocando experiências, e ser colega das pessoas que contribuíram com sua formação. “Ser professor é isso, estar sempre aprendendo. Aliás, eu acho que a gente aprende muito mais do que ensina. Porque cada turma é completamente diferente, trazem novas experiências e pontos de vista. Hoje, estou aqui também, aprendendo e ensinando”, declara.  

“Para mim, o sentimento de vestir a camisa se tornou maior”

Davi Rocha, 30, professor de Publicidade e Propaganda. Foto: Lilian Camelo/FotoNIC

Aluno formado pela instituição em 2009, Davi Rocha, 30, se tornou professor de Publicidade e Propaganda da Unifor em 2015, sendo um dos profissionais mais novos da Universidade. Ele diz que desde que passou a ser chamado de professor e não mais de aluno, muita coisa mudou. “Quando a gente vira professor, começa a ter uma visão mais institucional de toda a dinâmica do ensino. Para mim, o sentimento de vestir a camisa se tornou maior, até porque, ironicamente, eu não era um aluno muito engajado na instituição. Quando se vira professor você percebe que isso é de fato algo importante, uma necessidade”, acredita.

Por ser mais jovem, o professor conta que isso facilita na comunicação com os alunos, o que ele considera como uma vantagem, pois isso o torna mais empático. “Eu diria que eu aprendi mais sendo professor do que na época em que fui aluno. O que eu mais falo para os meus alunos quando eu quero passar alguma dica é que eu sei o eles estão pensando e experienciando, porque eu literalmente estive sentado onde eles estão sentando hoje”, revela

Para Davi, o lema “Ensinando e Aprendendo” já foi considerado meio cafona quando era aluno. Contudo, ele conta que, hoje, o bordão representa uma missão institucional. “A Unifor se presta a ensinar para os alunos como ser um bom profissional, bom indivíduo para a sociedade, como também aprende muito com o mercado e com os seus próprios alunos. De fato, é um lema que a gente vê no dia a dia”, testemunha. Para Davi, ser professor é um mix de prazer e desafios. “Eu acho que eu faço parte do problema assim como eu faço parte da solução. É um desafio de estar em uma posição de destaque, estando na melhor instituição da região e uma das melhores do país. Isso acaba trazendo uma carga de responsabilidade muito grande, mas também, junto a isso, tem o prazer de estar dando aula”, reconhece.

“Uma vez que você vive esse lema, isso se torna intrínseco do seu ser”.

Núbio Vidal, 30, professor de Administração. Foto: Lígia Grillo

Para Núbio Vidal, 30, ser professor é tudo. Sendo o seu plano desde cedo, o professor do curso de Administração da Unifor conta que lecionar é o que o faz querer acordar todos os dias. “Eu trabalho com o que eu gosto. Não penso em dinheiro, não penso em status, não penso em nada. Eu venho para cá porque eu amo estar dentro da universidade e é algo muito gratificante fazer parte, nem que minimamente, da evolução dos meus alunos”, relata.

Formado em 2012, Núbio conta que, desde que entrou na Universidade, como aluno de Comércio Exterior, demonstrou interesse em participar da vida acadêmica, sendo bolsista de pesquisa e monitor. Quando finalizou seus estudos na Unifor, o professor foi fazer mestrado. Dois anos depois, fruto de uma oportunidade, estava de volta. Dessa vez, em pé em sala, dando aula. Para ele, a situação muda quando de aluno passa a ser professor. “Quando nós somos alunos, nós vemos a instituição de um jeito, com aquele olhar mais imaturo. Com o passar do tempo e dentro da instituição, enxergamos que é possível chegar nos níveis de excelência que se deseja”, assegura.

Ele conta que o lema “Ensinando e Aprendendo” tem sido parte da sua vida desde muito cedo, pois “vive” na Unifor desde os seus cinco anos de idade. “Meu pai foi professor da casa durante os anos 1990. Eu cresci por aqui, correndo e brincando”, relembra com um sorriso. Alguns anos depois, ele continua com o sentimento de felicidade e realização. “Viver a instituição faz com que você esteja aqui não só pela obrigação de dar aula, mas também pelas oportunidades que a instituição oferece”, garante. Com uma certeza no olhar, o professor ainda acrescenta “Uma vez que você vive esse lema, isso se torna intrínseco do seu ser. Uma busca por aprender mais para ensinar melhor e ensinar melhor para aprender mais”, acredita.

“Professor, para mim, não é só uma profissão. Vai muito além disso”

Karol Monteiro, 37, professora dos cursos de Design de Moda, Eventos, Administração, Comércio Exterior, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas.

Para Karol Monteiro, 37, formada em turismo na Unifor em 2004, ser professora é aprender todos os dias. “É trocar muita experiência, estar disposta a conviver com diferenças, conversar sobre pontos de vista diversos. Quase como uma filosofia de vida, ser professora, para mim, não é só uma profissão. Vai muito além disso”, relata.

Sendo filha de professores, ela conta que sempre teve interesse na profissão. Mas foi somente quando entrou em contato com uma professora específica, durante a sua graduação, que enxergou a docência como ofício. “Foi olhando os professores daqui que eu também tive vontade de ser. Tive uma professora que hoje é minha colega. E no primeiro semestre do curso de Turismo eu olhei e disse que queria ser igual a ela”, relembra com um brilho no olhar.

A professora dos cursos de Design de Moda, Eventos, Administração, Comércio Exterior, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas conta que, durante a festa de sua colação de grau, uma música tornou o evento memorável. “‘Espero por você o tempo que for, para ficarmos juntos mais uma vez’. Eu ouvi aquela música e pensei: eu vou voltar na Unifor para dar aula”, revela.

Ela acrescenta que a Unifor é a sua segunda casa, e desde de que se tornou professora, apesar das funções serem diferentes, não mudou muita coisa de quando ela era aluna. “Como aluna, eu ensinei e aprendi. Agora, como professora, eu continuo ensinando e aprendendo. É algo muito verdadeiro para quem adota essa profissão como um ofício, quase que sagrado. Ela é muito verdadeira”, conta.

Centro de Comunicação e Gestão

O Centro de Comunicação e Gestão é composto pelos cursos de Cinema e Audiovisual, Jornalismo, Administração e Publicidade e Propaganda, Comércio Exterior, Design de Moda, Marketing, Eventos, Processos Gerenciais, Gestão de Recursos Humanos, Ciências Econômicas e  Ciências Contábeis. Neste mês, o curso de Jornalismo completa 18 anos de histórias. A graduação equilibra a teoria com aulas práticas e  tem uma estrutura de destaque quando o assunto se trata de laboratórios. O curso de Publicidade e Propaganda alcançou 4 estrelas do Guia do Estudante, em 2017. Dentro da matriz curricular, as disciplinas preparam para a atuação em setores como atendimento, criação, mídia e planejamento. O Núcleo Integrado de Comunicação e a TV Unifor inserem os alunos na realidade do mercado de trabalho ainda cursando Jornalismo e Publicidade.

O curso de Design de Moda existe desde 2014 e conquistou nota máxima na avaliação do Ministério da Educação (MEC), em 2015. Foto: Ares Soares/Unifor

O curso de Cinema e Audiovisual, por ser um dos cursos mais novos na Unifor não tem alunos que se tornaram professores do curso. Contudo, é a qualificação dos professores e a infraestrutura da Universidade que garante a excelência do curso que foi avaliado com nota cinco no MEC (Ministério da Educação). Com diversos laboratórios e equipamentos, o curso promove uma formação completa com bagagem de conteúdos teóricos e experiências práticas. Já o curso de Administração, com mais de 40 anos de atuação, vem trabalhando modelos e promovendo estratégias com a finalidade de atender às necessidades do mercado e da sociedade. Com atuação nas áreas de Gestão Estratégica e Inovação, Marketing, Gestão de Pessoas, Finanças e Negócios Internacionais, o curso vem se reinventando e garantindo a formação de profissionais de alto padrão.

A graduação em Comércio Exterior possibilita o profissional a trabalhar com transações de produtos e serviços privados ou estatais, de diferentes países. O curso conta com disciplinas ministradas em inglês, formando um profissional apto à diversas funções. O aluno também tem a opção de ter dupla graduação em Comércio Exterior e Ciências Econômicas, no período de 5 anos. O curso de Ciências Econômicas foi um dos primeiros cursos da Unifor e se renova ao longo dos anos com atualizações da matriz curricular, para acompanhar as necessidades do mercado.

O curso de Design de Moda existe desde 2014 e conquistou nota máxima na avaliação do Ministério da Educação (MEC), em 2015. A formação em moda possibilita aos alunos aulas práticas a partir do primeiro semestre, preparando para atuação em diversas áreas, como produção, consultoria, assessoria técnica, designer, editoria de moda etc. A graduação tecnológica em Eventos também conta com nota máxima no MEC, formando profissionais capacitados em produção, desenvolvimento, organização e execução de eventos em todas as proporções. Marketing na Unifor prepara o aluno para ser destaque em vendas e na atuação em empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php