ASMR: sons que relaxam, verdade ou mito?

Por Yasmim Rodrigues

O Autonomous Sensory Meridian Response ou simplesmente ASMR, é uma técnica de relaxamento por áudio e movimentos suaves. Esse método tem ficado muito famoso na internet, principalmente em sites como o Youtube. “Esses vídeos induzem o estado de mindfulness, que é um estado de atenção plena. Isso ajuda a desacelerar o organismo. Dessa forma, as pessoas não estão pensando nos problemas, estão conectadas ao ambiente”, afirma o professor de Psicologia da Universidade de Fortaleza, Tauily Taunay, 35.

“Esses vídeos induzem o estado de mindfulness, que é um estado de atenção plena. Isso ajuda a desacelerar o organismo. Dessa forma, as pessoas não estão pensando nos problemas, estão conectadas ao ambiente” (Tauily Taunay)

Os vídeos de ASMR têm, geralmente, cerca de 10 a 30 minutos e são repletos de sons suaves e repetitivos, como sussurros e ações lentas de interação com a câmera. Muitos ASMRtists, como são chamadas as pessoas que produzem esse tipo de vídeo, utilizam ainda a tecnologia do áudio binaural, na qual o som sai apenas de um dos lados do fone. Isso pode causar a sensação de que há alguém presente falando com o ouvinte.

Os vídeos prometem provocar um relaxamento profundo, de modo que o ouvinte possa adormecer ao ouvir ou sentir formigamentos no couro cabeludo e no dorso. O sucesso dessas técnicas é tanto que há, atualmente, no Youtube canais de ASMR com mais de 1 milhão de inscritos, como é o caso da ASMRtist americana Taylor Darling, 20. A jovem dona do canal ASMRdarling possui 1,5 milhão de inscritos e 260.032.396 visualizações somadas de um total de 123 vídeos.

ASMR no Brasil

“Sweet Carol” em vídeo. Foto: Reprodução

No Brasil, o sucesso dos vídeos relaxantes não é menor. Mesmo que essa técnica só tenha ganhado destaque há pouco tempo, já existem canais brasileiros com milhares de inscritos. O mais famoso é o da youtuber de São Paulo Carolina Rossi, 24. A criadora do canal “Sweet Carol” conta com mais de 500 mil inscritos e um total de 98.087.762 visualizações somadas em um total de 967 vídeos.

Além dela, há o canal “Gaúcha ASMR”, que tem cerca de 229 mil inscritos, 20 milhões de visualizações e 47 vídeos, sob o comando da ASMRtist Camila de apenas 19 anos. Para muitos, os vídeos tem ajudado a dormir melhor e a recuperar a calma em momentos de nervosismo. ”Eu entro aos poucos na minha cabeça, tenho controle dela naquele momento. Por isso, o ASMR me ajuda com a ansiedade. Assim, eu consigo organizar meus pensamentos”, garante a estudante Ana Laura Cardoso, 18.

Controvérsias

O feedback  positivo do ASMR é indiscutível, porém há muitas pessoas que garantem não sentir nenhuma das sensações que são descritas. A estudante Maysa Monteiro, 17, declara que ”os [vídeos] que vi nunca funcionaram comigo, mas eu acredito em quem sente, porque são diferentes níveis de concentração. Talvez, a pessoa acredite tanto nisso que ela acaba sentindo essas sensações”. Segundo o psicólogo Tauily Taunay, a oposição de opiniões ”está associada ao estado de fluxo, é um estado de ampla concentração. Há pessoas que tem uma facilidade maior para entrar nesse estado, essas pessoas conseguem ter essas sensações de forma mais exacerbada”.

Esse tipo de técnica de relaxamento é muito nova. Por isso, não há muito conhecimento sobre os efeitos que ela pode causar. “Em excesso, tudo é ruim. Amplo consumo sempre é ruim”, acrescenta o professor Taunay. Estudos mostram que ASMR realmente gera um efeito positivo nas pessoas, podendo ajudar a diminuir sintomas de depressão, por exemplo. “Porém há pessoas que tem misofonia, por exemplo, que não devem se expor a esse tipo de som’’, alerta o psicólogo.

Descubra se você sente ASMR:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php