O poder da união na prática da corrida

Por Luiza Ester

“Vamos”, “só mais uma volta”, “você consegue”. É assim que membros de grupos de corrida estimulam seus colegas. Frases como essas são ditas, constantemente, durante seus treinos. A pista de atletismo da Universidade de Fortaleza (Unifor), por exemplo, é um dos espaços onde essas equipes praticam o esporte. Ela se torna palco de empatia e de colaboração entre muitas pessoas. Participantes trocam conhecimentos, afetos e, principalmente, força de vontade. Da juíza ao vendedor, um por todos e todos por um.

Todo tipo de gente correndo – literalmente – junto. Tênis nos pés, perseverança e muitas gargalhadas. A famosa frase “foco, força e fé” parece ser facilmente lembrada quando se participa da corrida em grupo. Com todos lutando por um mesmo objetivo, desde o atleta ao não-competidor, fica bem mais difícil desistir. Um estimula o outro. Já dizia o cantor e compositor Raul Seixas, “sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade”.

“Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade” (Raul Seixas)

Relatos de alguns adeptos esclarecem como o exercício em equipe, um espaço aberto e uma pista de atletismo influenciam sua prática esportiva.

Sempre que dá

Ângelo Araújo. Foto: Luiza Ester

“Aqui, a gente se sente mais capaz de vencer os obstáculos. Você vê pessoas de vários níveis. Você acaba achando uma pessoa que mais ou menos tenha o teu ritmo. Isso faz com que você perceba que é capaz de vencer as dificuldades que você tem”, diz Ângelo Araújo, 54, funcionário público. De acordo com ele, muitas pessoas acham que não conseguem fazer um exercício sozinho, e um grupo de corrida pode mudar essa perspectiva. Para Araújo, “correr dá disposição, capacidade de vencer o cansaço, renova as ideias. Você reúne pessoas bacanas ao seu redor. Você consegue ver, de alguma forma, que a vida é bela. Correr em grupo me dá satisfação. É muito bom”. Por isso, corre sempre que dá.

Meritíssima

Josiana Serpa. Foto: Luiza Ester

Após quatro anos praticando corridas, a juíza Josiana Serpa, 44, passou a competir. “Aqui a gente aproveita para treinamento de atletismo, porque a gente está participando de corridas curtas, 100, 200 e 400 [metros]”, relata. Ela participa de um grupo composto por 12 juízas apaixonadas pelo esporte.

Além de treinar para diversos campeonatos, a “Liga da Justiça” do atletismo realiza eventos em suas casas e conversa sobre tudo que não tenha a ver com o trabalho. Segundo Josiana, exercícios em grupo ajudam a liberar o estresse. Juntas, tentam reduzir o tempo de corrida e melhorar o condicionamento físico. Para ela, “a sensação de bem-estar é muito superior quando a prática do esporte é na pista, ao ar livre”.

Conforto

Rômulo Mourão. Foto: Luiza Ester

Rômulo Mourão, 28, contador, diz que a pista de atletismo possibilita diversos tipos de treino. Ele também cita a importância de se treinar em grupo. “Causa uma sensação de conforto, fazendo com que a gente fique menos estressado no decorrer do trabalho. Enfim, o dia fica melhor após a corrida”, afirma.

Idades e humores

Fabiano Oliveira. Foto: Luiza Ester

Para Fabiano Oliveira, 38, consultor comercial, o exercício na pista de atletismo fornece uma melhor noção de espaço e de condição de treino para cada pessoa. “A pista tem 400 metros. Se você vai correr 1 quilômetro (Km), são duas voltas e meia. Se você vai correr 3 Km, são sete voltas e meia, e assim por diante. Você consegue coordenar melhor o seu treino em relação ao espaço”, comenta.

De acordo com Oliveira, a corrida em grupo permite conhecer “várias idades e humores”. Ele destaca a interação de pessoas, assuntos e culturas diversas por meio da corrida em grupo. “É muito legal compartilhar com o pessoal. Na verdade, não é só um esporte, é uma terapia”, declara.

Ambiente

Andreína Damasceno. Foto: Luiza Ester

Andreína Damascena, 25, advogada, considera a pista de atletismo como o melhor lugar para correr. “A pista é adequada para a corrida. Ao ar livre o vento colabora muito para você se exercitar. Eu acho esse ambiente fantástico para treinar”, afirma. Para a advogada, correr é a atividade física mais satisfatória para o seu corpo. Ela prefere corrida à academia, justamente por sua prática ser em grupo e na pista de atletismo.

120 minutos

Marcelo Junior. Foto: Luiza Ester

Marcelo Júnior, 25, vendedor, havia começado o treino faziam duas horas. Suas expectativas já eram de melhorar a qualidade de vida por meio da corrida em grupo. “Essa prática vai me influenciar, porque a estrutura é outra. Você tem pessoas te auxiliando, profissionais que já trabalham com isso. Facilita muito para quem tá iniciando”, espera. O fato da pista ser em um local aberto se tornou um dos estímulos de Marcelo. “Eu, particularmente, já malhei e não me identifico de jeito nenhum. Essa prática, de correr em grupo, vai me fazer manter uma rotina de exercícios, de saúde física e mental”, opina.

Acompanhamento

Esses grupos de corrida, realizados na pista de atletismo da Unifor, são ministrados por assessorias esportivas. São empresas que trabalham diversas atividades físicas sem, necessariamente, uma estrutura fechada. De acordo com Mayara Silva, 28, professora de uma das instituições parceiras da universidade, “só precisa ter professores da área, que façam programas de treinos, criem grupos nas praças, nas avenidas, nos parques. É mais livre. Não precisa de um espaço fechado para ter um grupo, uma equipe”.

Para ingressar em um grupo de corrida é necessário estar saudável, diz Mayara. Exames ergométricos são necessários para investigar o condicionamento de cada aluno. O profissional, com o estudo em mãos, compreende a quantidade de trabalho realizado pelo corpo durante um exercício físico. Só depois ele poderá programar os treinos. A professora explica que os exercícios podem ser na própria pista de atletismo, na grama, na areia e em subidas. No vídeo, ela fala sobre a diferença de treinar em uma pista de corrida.

 

Movimente-se

As assessorias que contratam esse espaço da universidade são parceiras do “Movimente-se Unifor”, um programa voltado aos funcionários da instituição. Ele busca estimular a prática de atividade física nos trabalhadores, com um desconto de 50% nas modalidades de natação, tênis e grupos de corrida. Contudo, segundo uma funcionária que não quis se identificar, não há divulgação dessas ações. “As pessoas não sabem. Eles não divulgam, você tem que descobrir”, revelou.

Francisco Macedo. Foto: Luiza Ester

Já para Francisco Macedo, 56, funcionário da Unifor e de uma das assessorias esportivas atuantes na instituição, “depende dele [funcionário] querer treinar para o alto rendimento. Tem funcionários que já participaram das últimas edições do Iron Man [grande competição que envolve corrida, natação e ciclismo] e fez as três provas. Nadou, correu, pedalou. Leva longe, né? Depende de cada um”. De acordo com Macedo, a Universidade patrocina algumas corridas de rua e as assessorias se encarregam de fazer todo o procedimento de matrícula. Ele afirma ter ganhado o primeiro lugar, na categoria funcionário, da última Corrida de Rua Unifor, evento tradicional da organização. Essas oportunidades, segundo ele, integra, socializa e insere o empregado em uma outra qualidade de vida.

Corpo e alma

Segundo a professora especialista em atletismo, Sonia Ficagna, 39, a corrida traz inúmeros benefícios à saúde. Ela resulta, por exemplo, em um bom condicionamento cardiorrespiratório. Pode ajudar, também, um idoso a não se cansar tanto durante os afazeres do cotidiano ou acelerar o crescimento de um jovem em fase de crescimento. Além disso, ela melhora diversos aspectos sociais. No vídeo, a professora comenta sobre como a corrida influencia até a relação com o próprio corpo, com as pessoas e o mundo.

 

Para Sonia, uma pista de atletismo deve ter pessoas. “Não existe equipamento nenhum, que seja bom, se não tiver a utilização das pessoas. Principalmente pessoas boas orientando, para que tenham condição de fazer o exercício de uma maneira correta, adequada. Cada um dentro do seu limite físico, emocional, do seu estado nutricional, que deve ser levado em consideração”, afirma.

Correr em Fortaleza

De acordo com a professora, a corrida é uma atividade muito democrática, pois pode ser realizada em qualquer lugar. “É fácil porque ela pode ser feita em qualquer lugar. Você calça um tênis, você usa uma roupa leve. Pode estar frio, pode estar quente, mas você pode correr. Você pode correr na esteira, na rua, em uma pista de atletismo, em um parque, uma praia, uma montanha”, comenta. No mapa, estão reunidos alguns lugares para correr em Fortaleza, confira.

Aplicativos para corrida

Alguns aplicativos podem auxiliar a prática da corrida, seja sozinho ou em grupo. Todas as três plataformas a seguir são gratuitas e disponíveis para os sistemas operacionais iOS e Android.

Box: Luiza Ester

Nike+ Running

O aplicativo da Nike é um dos mais populares e completos de corrida. Com ele, o usuário pode ter acesso à registros da distância percorrida e sugestões de quais rotas pode seguir. A plataforma conta com programas, dicas de treinamentos e exercícios diários. Existe também a possibilidade de competir com amigos que também utilizem o app, além do compartilhamento dos exercícios nas redes sociais.

Charity Miles

Esse aplicativo utiliza o monitoramento de atividades físicas para fazer o bem. Charity Miles incentiva o seu usuário a correr, sair do sedentarismo e perder peso. Ele calcula a distância percorrida e o tempo gasto. Se a meta for atingida, o aplicativo doa uma quantia em dinheiro às instituições beneficentes. A plataforma pode incentivar uma vida saudável por meio da ajuda ao próximo.

RunKeeper

O aplicativo oferece informações como o tempo e a distância dos trajetos. Permite que o usuário veja a que ritmo fez tal percurso e calcula quantas calorias foram perdidas, aproximadamente. Além disso, ele possibilita montar treinos e, com a sincronização com uma rede social, competir com os amigos.

Saúde e prêmios

Muito se discute sobre o acompanhamento profissional diante de atividades físicas. Aperte o play para ouvir um pouco da diferença dos treinos para atletas e para não-competidores.

 

Serviço

Grupos de corrida

Data: segunda a quinta

Horários: 05:30 às 07:30 / 17:30 às 20:30 / 18:30 às 21:30

Local: Pista de atletismo da Universidade de Fortaleza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *