Avenida Beira-Mar é ponto turístico cultural de Fortaleza

Por Lara Montezuma

“Velas brancas do mar vão surgindo, com as primeiras estrelas do céu, onde o verde da tarde é mais lindo, e o azul só precisa de Deus”. Assim como na letra da música “Fortaleza”, do cantor cearense Raimundo Fagner, em homenagem à cidade da canção, o mar é uma das primeiras lembranças que surgem ao mencionar a capital do Ceará. Vista comum para a maioria dos fortalezenses, as águas azuis estão entre as maiores riquezas da paisagem local.

Há anos, o litoral de Fortaleza é fonte de lazer, esporte e turismo. Nos finais de semanas e nas férias, as praias ficam repletas de pessoas que querem descansar enquanto tomam um banho de mar, ou, então, de turistas à procura de aventuras por meio de esportes, como o jet ski. Foi na década de 1960 que a cidade qualificou a sua orla com a construção da Avenida Beira-Mar.

Patrimônio cultural e histórico

A avenida tornou-se mais movimentada com a instalação da Feirinha da Beira-Mar. Criada há mais de trinta anos, a feira está localizada na praia de Iracema e recebe todos os dias, em média, 80 barraquinhas de venda. No entanto, a estrutura atual só se tornou viável há cinco anos. No começo, os vendedores colocavam os seus produtos na calçada e tinham que lidar com imprevistos, como as mudanças climáticas e os ventos fortes.

Depois de passarem por outros pontos da Avenida, como a Praia do Mucuripe e o Mercado dos Peixes, os vendedores conseguiram fixar a sua localização e conquistaram clientes fiéis. A vendedora de moda praia Elisa Rebouças, 28, trabalha na Feirinha há 3 anos e conta que, desde o início, o seu quiosque tem clientes que procuram o seu trabalho independente das circunstâncias. “Tem clientes que sempre compram de mim. Quando eles querem que mandem [os produtos] para fora, eles pedem pelo Whatsapp, mas geralmente vêm até aqui”, relata.

Infografia: Lara Montezuma

Hoje, a avenida tem mais de três quilômetros de extensão e reúne o melhor da cultura cearense. Humor, comida, arte e artesanato, o calçadão abrange um pouco de tudo. Esse lugar é um dos principais pontos turísticos da cidade e movimenta grande parte da economia local. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Ceará (ABIH-CE), Fortaleza recebeu 380 mil turistas em julho de 2017, um aumento de 2% a 4% em comparação ao ano de 2016.

Artefatos pequenos estão entre as peças favoritas. Foto: Lara Montezuma.

Sabores e saberes

As pinturas são frequentes no calçadão. Foto: Lara Montezuma.

A culinária da avenida também é referência para quem está visitando a cidade. É comum encontrar pelo calçadão vendedores ambulantes, que servem alimentos típicos nordestinos, como o acarajé, assim como guloseimas, como sorvete e pipoca. Para quem procura algo mais elaborado, a Beira Mar está repleta de restaurantes variados, grandes marcas de fast-food e até mesmo gelaterias.

Não há como deixar de registrar também a presença de artistas locais. A avenida Beira-Mar é palco para artistas independentes, que são livres para apresentar a sua arte de várias maneiras. É possível encontrar pinturas, humoristas, músicos e até mesmo “estátuas humanas” que interagem com o público. Essas artes fazem parte da lista crescente de atrativos desse grande ponto turístico da cidade de Fortaleza, que traz um pouco da história da capital cearense.

Conheça mais

 

Confira a matéria editada por Lara Montezuma:

Na Beira do Mar

Um comentário em “Avenida Beira-Mar é ponto turístico cultural de Fortaleza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php