Fisioterapia esportiva ajuda na recuperação de atletas

Por Clara Menezes

O ex-jogador de handebol, Francisco Wallyson, 23, estava treinando uma jogada ensaiada para bater falta. Quando ele correu para pegar a bola no ar, sentiu um forte estalo e caiu no chão, com o tendão do joelho rompido. No dia que isso ocorreu, em outubro de 2016, já era vésperas de um campeonato nacional que ele não teve a chance de participar, mesmo depois de um ano de treino.

“Passou todo um filme na cabeça. De tudo que fiz para conquistar o pouquinho do espaço que tinha no time”, conta o estudante de Direito, Wallyson. Sem o desconto por jogar handebol, ele nunca teria entrado na Universidade de Fortaleza (Unifor). Foi apenas com o decorrer do curso que ele encontrou outras formas de pagar os estudos.

“Passou todo um filme na cabeça. De tudo que fiz para conquistar o pouquinho do espaço que tinha no time” (Francisco Wallyson)

Wallyson (em pé, terceiro da esquerda para direita) com sua equipe de futsal da Unifor. Foto: Arquivo Pessoal.

Wallyson ainda não se recuperou, principalmente, porque descobriu uma infecção no outro joelho, a mesma que ocasionou a primeira lesão. Desde a cirurgia de reconstrução do tendão, ele não pôde arcar com as despesas do acompanhamento médico e fisioterápico. Por isso, não joga handebol desde 2016.

Situações como essa demonstram a necessidade da fisioterapia na recuperação de um atleta, porque o esporte não é apenas uma atividade física. Ele pode ser uma profissão, uma paixão, uma fonte de renda. Para Wallyson, o handebol significava todas essas alternativas.

Fisioterapia esportiva

A fisioterapia esportiva ou desportiva trata, principalmente, as lesões de atletas e de praticantes de exercícios físicos, em geral. Segundo o fisioterapeuta esportivo do Núcleo de Atenção Médica Integrada da Unifor (Nami), Paulo Henrique Palácio, 40, as lesões causadas pelo esporte e por outros motivos são semelhantes. “Mas, os desfechos são diferentes, porque o atleta, geralmente, tem uma condição muscular mais propícia à recuperação do que uma pessoa que não pratica esportes”, conta o fisioterapeuta.

No Nami, a fisioterapia esportiva ainda não é uma área especializada. O fisioterapeuta Paulo Henrique falou um pouco sobre o funcionamento da instituição:

 

Lesões pelo esporte

A Liga de Fisioterapia Esportiva – LIFE, da Universidade Federal do Ceará, levantou dados de todos os pacientes atendidos no ambulatório entre janeiro e setembro de 2016. De todas as pessoas que chegaram com lesões causadas devido ao esporte, eles analisaram os tipos de ferimentos ou traumatismos mais recorrentes. Confira o infográfico:

Como evitar?

Para evitar as lesões causadas pelo o esporte, o educador físico da Academia Unifor, Alexandre Parente, 42, recomenda a musculação. “Ela é a base para qualquer esporte, porque fortalece a musculatura”, afirma. Segundo ele, muitos estudantes da universidade chegam na academia lesionados, principalmente, por causa da corrida.

O educador físico, Alexandre Parente, conta que, normalmente, o paciente, após sofrer uma lesão, deve iniciar com a musculação antes de voltar para a prática do esporte que fazia. Escute o áudio abaixo para entender um pouco mais do processo:

 

Além disso, o fisioterapeuta, Paulo Henrique, recomenda que as pessoas façam avaliações periódicas. “Muitas gente apenas assume que não têm nada. Mas, com exames, pode ser detectado fatores de risco que podem ocasionar lesões”, conta. Após a avaliação, a pessoa pode detectar uma disfunção e tratá-la antes que ela cause consequências maiores. Para o fisioterapeuta, o tratamento preventivo ajuda as pessoas a terem uma maior confiança com os exercícios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php