Piadas podem prejudicar pessoas gagas

Por Clara Menezes

“Eu já apanhei na infância pelos meus colegas de classe porque eles me achavam estranho e defeituoso”, conta o DJ Matheus Barbosa, 20, sobre as dificuldades que enfrentou por ter disfemia, síndrome mais conhecida como gagueira. De acordo com dados de 2017, do Instituto Brasileiro de Fluência – IBF, cerca de 5% dos brasileiros (10 milhões de pessoas) são afetadas por essa disfluência de fala.

Matheus Barbosa tem medo de falar em público por causa da gagueira. Foto: Arquivo Pessoal

Apesar desse alto número, as campanhas de conscientização sobre a gagueira ainda são necessárias para combater o preconceito. Por exemplo, o Dia Internacional de Atenção à Gagueira, comemorado anualmente no dia 22 de outubro, tem o objetivo de informar a população sobre esse distúrbio de fala. Segundo a fonoaudióloga e professora, Rachel Cassiano de Sousa, a pessoa gaga apresenta algumas dificuldades de fala, como bloqueios, interrupções, rupturas, repetições e prolongamentos.

Autoestima

É muito comum ver em stand-ups de comédia e em vídeos virais piadas com pessoas gagas. No entanto, isso pode afetar a autoestima de quem tem essa disfluência de fala. Para o estudante de administração, José Weslley Farias, 19, “a piada afeta muito a pessoa gaga, podendo provocar baixa autoestima, depressão ou até mesmo incentivar o suicídio”.

Para a fonoaudióloga Rachel Cassiano, a comunicação é um elemento essencial para as relações profissionais e pessoais. “Desse modo, as pessoas que apresentam dificuldades no ato comunicativo tendem a apresentar comportamentos mais introspectivos e interferem até na autoestima”, conta a fonoaudióloga.

“As pessoas que apresentam dificuldades no ato comunicativo, tendem a apresentar comportamentos mais introspectivos e interferem até na autoestima” (Rachel Cassiano)

Problemas de autoestima podem causar, também, vergonha de falar em público. O gago José Weslley precisa de métodos para se acalmar, como a meditação e a hipnose. Segundo o estudante, ele não conseguia falar em público, em apresentações de escola e com as mulheres. Já o DJ Matheus Barbosa ainda tem vergonha de falar porque sente que todos irão rir dele. “Risada não vai faltar do público. Normalmente, isso só me deixa mais nervoso”, conta.

O que não fazer?

“A gagueira é um problema psicológico, não biológico”, conta o DJ Matheus Barbosa. Para ele, é necessário ter intimidade com alguém antes de fazer uma piada sobre ela. Outra informação importante é que não se pode apressar ou tentar adivinhar a fala da pessoa gaga. “Ninguém quer ser interrompido ou ter a sua fala completada por outra pessoa. Com a pessoa que gagueja é do mesmo jeito. A gagueira não é um comportamento voluntário, ela não gagueja porque quer ou para chamar a atenção”, conta a fonoaudióloga, Rachel Cassiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php