Mesa-redonda aborda carreira profissional

Por Lara Montezuma

O caminho para a escolha profissional começa a ser trilhado muito antes do primeiro vestibular, e as dúvidas que surgem sobre o futuro no ofício podem se estender até a aposentadoria. Na última sexta (20), docentes da área de psicologia reuniram-se em uma mesa-redonda intitulada “Da entrada na universidade e no mercado de trabalho ao processo de pós-carreira” para discutir as transições que acontecem na vida profissional.

O evento fez parte da programação do Mundo Unifor. Foto: Laura Monteiro.

Os questionamentos feitos pela maioria dos estudantes podem ser respondidos através do planejamento de carreiras. Atuante nesta área, a psicóloga Marina Simeão, realça a importância do interesse precoce dos alunos, antes de entrar nas universidades, para que se apropriem de projetos de orientação profissional e atividades extracurriculares. Ela também destaca o autoconhecimento para que a pressão social não defina a escolha de profissão.

O autoconhecimento facilita o reconhecimento e desenvolvimento das melhores habilidades do estudante, essenciais no direcionamento de suas ações. Estas podem ser diferenciadas desde o início da vida acadêmica, como os laboratórios de pesquisa, as monitorias e os programas voluntários. A discente  do último semestre de psicologia, Rebeca Oliveira, 24, afirma que as dicas fornecidas pela mesa-redonda foram valiosas para o seu atual momento na universidade. “Foi um divisor de águas por detalhar o que estamos aprendendo no curso e explicar como será o mercado de trabalho”.  

Mudança pessoal e profissional

Outro fator destacado foi a importância de estar aberto a modificações no âmbito educacional e pessoal. Segundo a psicóloga Luciana Karine, “não há como desatrelar a nossa carreira das transformações pessoais”. Assim, o aluno deve estar atento às mudanças e fazer questão de que as escolhas profissionais sejam coerentes com os seus pensamentos. “A carreira é um aspecto psíquico social de mudanças do indivíduo e da sociedade”, explica Luciana.

“A carreira é um aspecto psíquico social de mudanças do indivíduo e da sociedade” (Luciana Karine)

Esta afirmação foi comprovada quando o assunto de pós-carreira foi abordado. Estudos confirmam que o trabalho é o objeto central na vida da maioria dos indivíduos, o que anula a possibilidade de existir uma relação neutra entre este e a saúde mental. Quando a aposentadoria se aproxima, os sentimentos de culpa e angústia consomem a maioria dos trabalhadores, intensificados pela lógica imposta de que a improdutividade é equivalente à inutilidade. A preocupação extrema com questões financeiras, assim como a falta de projeção de vida, também são comuns naqueles que têm uma carreira há mais de trinta anos. Entre as maneiras para driblar a insatisfação profissional e pessoal no momento pós-carreira, a dedicação a atividades que sejam motivadoras está entre as mais importantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php