Documentário revela o drama vivido por Demi Lovato

Por Melissa Carvalho

Drogas, depressão, distúrbios alimentares e de personalidade são características que marcaram a reputação da cantora e atriz norte-americana Demi Lovato, 25, durante sua adolescência. O documentário Simply Complicated mostra a trajetória da vida de Demi e como enfrentou essas dificuldades. O longa trata assuntos sérios e conversa com a artista de forma íntima, aproximando o público da sua história.

Ela mostra-se ansiosa durante a gravação. A última vez que concedeu uma tão longa estava gravando o documentário Stay Strong, sob o efeito de cocaína. Demetria Devonne Lovato, seu nome por extenso, é cantora, compositora e atriz. Ela deu seus primeiros passos para a fama durante a infância, com sua atuação de visibilidade em “Barney e seus amigos”. Após a participação na série, muitas oportunidades surgiram para a cantora, que começou a trabalhar na Disney e lançar seus discos pela empresa.

A sua infância é marcada pelo abandono do pai, viciado em drogas e álcool. Na escola, Demi sofreu bullying e tentou de tudo para ser aceita pelos colegas. Sua amiga de infância, Marissa Callahan, conta que passaram por problemas parecidos. No colégio, as duas experimentaram diversas coisas, como beber, para poder atingir a popularidade. Apesar da proximidade com a mãe, Dianna De La Garza, e a irmã mais velha, Dallas Lovato, Demi vivia triste e escondia muitos segredos da família.

O início dos problemas

Demi Lovato durante entrevista em sua casa. Foto: Reprodução.

Quando saiu de “Barney e seus amigos”, a artista relata a pressão para encontrar outros empregos. Aos 15 anos, começou a gravar Camp Rock, marcando o início da sua ascensão. Após a gravação do longa, Demi começou a compôr para seu álbum e saiu em turnê com a banda teen, Jonas Brothers, abrindo, assim, oportunidades para sua turnê solo. O que era para ser uma trajetória de sucesso, foi o caminho para a perdição da cantora.

O acúmulo de diversos trabalhos acabou afetando-a psicologicamente devido às cobranças e as expectativas que foram depositadas em uma adolescente de 16 anos. Demi vivia uma vida dupla: tinha que ter uma postura perfeita por causa do seu contrato com a Disney, sem poder agir como uma adolescente normal. Aos 17 anos, Demi experimentou cocaína pela primeira vez. Nessa época, a artista já mostrava sinais de depressão, comportamentos violentos e manipulava as pessoas a sua volta.

O ápice desses problemas foi o episódio de agressão em uma de suas bailarinas. Ao passar pela Colômbia durante sua turnê com o Camp Rock, Demi promoveu uma grande festa no hotel, com muitas drogas e bebidas. Depois do evento, os responsáveis da artista, como seu pai e seu gerente, descobriram que usava anfetaminas. Então, Demi manipulou as pessoas até descobrir quem havia fornecido essa informação, que logo se espalhou e foi parar nas primeiras páginas dos tabloides. Quando descobriu a responsável por divulgar seu vício, a cantora socou sua dançarina, Shorty, evidenciando para todos que já estava no seu limite.

Reabilitação

Demi foi diagnosticada com bipolaridade, durante sua primeira vez na reabilitação. Ao sair da clínica, a cantora continuou afastada do seu programa, sob o uso diário de drogas. O seu temperamento desagradável, durante esse período, tornou difícil a convivência com a cantora, que passou por 20 acompanhadores diferentes.

A artista estava despreocupada com sua carreira e seus funcionários estavam cansados de lidar com suas mudanças. Phil Mcintyre, gerente da Demi, planejou, com a equipe da cantora, uma estratégia para atingi-la. Em uma reunião, todos simularam que iam deixá-la, pretendendo chocá-la. O plano funcionou e Demi decidiu que queria abrir mão das drogas.

Recaídas

Demi Lovato em aula de kickboxing. Foto: Reprodução.

Demi está sóbria das drogas há quase cinco anos e meio. Mas ainda tem problemas com os distúrbios alimentares. A cantora namorou com o ator Wilmer Valderrama por seis anos. Mesmo ainda o amando, Demi sentiu a necessidade de estar sozinha, por assumir que há problemas que não consegue superar tendo o apoio de alguém. Após o término, alguns episódios de bulimia aconteceram quando Demi sentia falta do ex-namorado. A artista mostrou, no filme, a dificuldade de tratar os problemas que ainda confronta.

Atualmente, ela utiliza, além da música, a luta como uma forma de recuperação. Durante o documentário, mostrou sua paixão pelo Jiu-Jitsu e como o esporte tem motivado sua vida.

Confiança

Por estar solteira, a cantora relata algumas de suas aventuras e as sensações antes de seus encontros. Pela primeira vez, assumiu a sua bissexualidade e diz estar “aberta a conexões humanas”.  

Demi afirma querer ser uma voz para quem precisa. Sua principal motivação para continuar foram sua família e seus amigos. Hoje, a artista usa sua história para fazer suas canções e ajudar pessoas que passam pelos mesmos problemas que enfrentou, pois acredita que elas podem se conectar através da música.

Confira o trailer do documentário abaixo:

 

Ficha técnica

Direção: Hannah Lux Davis

Ano produção: 2017

Duração: 78 minutos

Gênero: Documentário/Drama/Musical

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *