Marcelo Jeneci traz a MPB no primeiro dia do Mundo Unifor

Por Melissa Carvalho

“Só existe o aqui e o agora. Vamos aproveitar para revolucionar”, convidou o cantor Marcelo Jeneci, 35, durante sua apresentação no show de abertura da 8º edição do Mundo Unifor. O cantor foi a primeira atração artística do evento bianual, lotando a praça central da Universidade de Fortaleza (Unifor), na noite desta segunda-feira (16).

“Só existe o aqui e o agora” (Marcelo Jeneci)

Com uma setlist cheia de sucessos, como “Felicidade” e “Pra sonhar”, Jeneci animou a plateia por mais de uma hora. Por ser um show solo, o cantor trouxe uma mudança no repertório, trazendo versões novas de músicas já conhecidas. Ele afirmou que fará mais um disco e mostrou-se animado por estar apresentando seu trabalho dentro da universidade. “Estamos de fato em um lugar de aprendizado, dentro dos muros e para fora deles também. São as nossas histórias, é o que a gente faz da nossa vida, como a gente se sente livre para quebrar as convenções e as formalidades”, declara.

Nirla Oliveira, 42, que cursou Enfermagem na Unifor ficou emocionada com o show. “A experiência foi ótima. Voltar à universidade em que eu estudei pra assistir um show de um artista que eu admiro, foi muito bom. Pude ouvir músicas conhecidas e outras que não tinha escutado ainda. O repertório é maravilhoso. Se já gostava, agora estou encantada”, garante.

Veja o vídeo do artista tocando e cantando “Felicidade”:

 

Jeneci falou sobre assuntos polêmicos. O instrumentista não esconde seu posicionamento contra o atual governo brasileiro e declarou durante o show que, se quisermos, podemos mudar essa gestão, entoando junto com a platéia algumas frases de protesto. “Eles podem roubar o que quiserem, mas nunca vão roubar a nossa voz”, declamou.

Outro assunto pontuado pelo compositor foi a questão das mulheres. Ele acredita que as mulheres estão ganhando cada vez mais espaço na sociedade, depois de tantas revoluções enfrentadas por elas. “É aqui que mora a nossa revolução do amor acolhedor, oco, feminino. Não é a internet, a biocibernética, a ciência ou a medicina que tá marcando a nossa época. É pela primeira vez a gente recebe vocês, mulheres, como peso igual no tabuleiro. Salve as mulheres!”

“É pela primeira vez a gente recebe vocês, mulheres, como peso igual no tabuleiro. Salve as mulheres!” (Marcelo Jeneci)

O artista falou sobre a forma como as pessoas são influenciadas pela família na hora da decisão do curso. Ele acredita que temos o direito de escolher o que seguir como profissão, sem matar a criança que existe dentro de nós. “Estudem, escolham o que querem aprender. Que as projeções e os sonhos dos nossos pais ou dos nossos avós fiquem com eles. Escolham com o coração, o jeito livre de viver a vida.”

Infância e amigos

Marcelo Jeneci em sua apresentação. Foto: Ares Soares

Marcelo Jeneci é cantor, compositor e instrumentista. Seu primeiro contato com a música aconteceu na infância. Seu pai consertava instrumentos e o cantor cresceu entre acordeonistas e sanfoneiros. “Eu, muito menino, não queria tocar sanfona. Os amigos deles que iam lá, todos mais velhos, barrigudos. Eu queria um piano acústico, um instrumento que soasse sinfônico em casa, não tinha a menor condição de ter”, relata.

Durante o show, Marcelo Jeneci dividiu o palco com Daniel Medina para cantar “Cancioneta”. Jeneci considera que o melhor da vida é a amizade e que sua casa também é um lar para os seus amigos, que têm acesso em qualquer horário. “O Medina tem essa voz e esse traço na composição, que, quando a gente ouve, a gente se dá conta que estava com saudade dela sem ao menos ter conhecido”, afirma.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *