Filme faz crítica à indústria alimentícia

Por Clara Menezes

Mija (Seo-Hyeon Ahn) cresceu em uma pequena fazenda no interior da Coréia do Sul junto com seu atípico animal de estimação, Okja, um “super-porco”. Esse nome foi criado por Mirando, uma grande empresa do setor agropecuário, que descobriu uma nova espécie de animal no Chile. No entanto, a presidente Lucy Mirando (Tilda Swinton) elaborou uma estratégia de marketing:  25 filhotes dessa nova espécie foram entregues a pequenos fazendeiros ao redor do mundo. Depois de 10 anos, o melhor super-porco seria procriado e vendido como carne pela empresa.

O diferencial do projeto foi a propagação da ideia de uma criação livre. Os animais encontrados seriam tratados extremamente bem e, de acordo com Lucy Mirando, aconteceria a reinvenção da empresa que estava com o nome sujo. Porém, a empresa não esperava que alguém tratasse o super-porco tão bem ao ponto de considerá-lo um animal de estimação, uma parte importante na vida de uma criança solitária.

“Ecoterroristas”

Os denominados “ecoterroristas” protegeram Mija para derrotar a empresa Mirando. Foto: Reprodução

Depois dos 10 anos prometidos pela empresa Mirando, ela vai examinar e buscar Okja na fazenda do avô de Mija, Heebong (Byun Hee-bong). No entanto, apesar da avô lhe dar um pequeno presente de ouro como consolação, Mija deixa tudo para trás com o objetivo de salvar seu animal de estimação de ser morto pela grande corporação.

Ao chegar nos Estados Unidos, a menina se depara com a Animal Liberation Front (ALF), uma organização que busca salvar os animais da crueldade. Com o objetivo de expor a falsa ideia de “animais saudáveis” proposta pela Mirando, o grupo ajuda Mija a salvar Okja. As máscaras usadas pelos integrantes da ALF propõem, primordialmente, uma impressão de terrorismo. Porém, elas são usadas para que não haja a identificação dos ativistas.

Indústria alimentícia

“Okja” faz críticas intensas ao longo do filme. Os maus-tratos contra os animais dentro da indústria e o descaso da população são os principais. Com imagens fortes das mortes e do tratamento de animais dentro de indústrias, o diretor Joon-Ho Bong traz uma reflexão sobre como a carne é produzida na sociedade. Até que ponto tratar os animais apenas como alimentos é ético?

Além disso, a loucura do capitalismo é abordada, principalmente, no final do filme. Após a população descobrir que a empresa Mirando estava fazendo uma propaganda falsa sobre o bem estar dos animais, surge uma revolta. No entanto, a irmã gêmea de Lucy Mirando, Nancy, também interpretada por Tilda Swinton, não se preocupa. “Abaixe o preço da carne. Se for barato o suficiente, eles [os cidadãos] vão comer”, diz.

“Abaixe o preço da carne. Se for barato o suficiente, eles [os cidadãos] vão comer” (Nancy Mirando)

Para entender mais sobre o filme original da Netflix, confira o trailer:

Ficha técnica

Formato: Filme

Produção: 2017

Direção: Joon-Ho Bong

Duração: 118 minutos

Gênero: Drama, Ação e Aventura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php