5+ Clássicos da MPB

Por Clara Menezes

A produção musical que influenciou a criação da Música Popular Brasileira, mais conhecida como MPB, surgiu ainda durante o período colonial (do século XVI ao século XIX). Foi fruto de uma mistura, principalmente, das músicas indígenas, africanas e europeias. No entanto, apenas em 2016 foi decretado o Dia da Música Popular Brasileira (17 de outubro) em homenagem ao nascimento de Chiquinha Gonzaga, a primeira pianista de choro e a autora da primeira marcha carnavalesca, “Ó Abre Alas”.

Apesar de já existir desde a chegada dos portugueses ao Brasil, a Música Popular Brasileira somente se consolidou como um movimento de artistas em 1966, com a segunda geração da Bossa Nova. A MPB foi, então, a mistura de dois movimentos aparentemente opostos: a Bossa Nova, que defendia a sofisticação musical, e o engajamento folclórico dos Centros Populares de Cultura da União Nacional dos Estudantes, que defendia a música de raiz brasileira.

O movimento da MPB surgiu durante a Ditadura Militar do Brasil (1964-1985). Esse gênero musical se tornou, na época, mais que apenas um estilo: era um movimento de contestação político e social. Então, como protesto, os músicos e compositores do período escreviam canções para “burlar” a ditadura do Departamento de Imprensa e Propaganda – DIP, criada para exaltar a imagem de Getúlio Vargas.

Para homenagear esse movimento da música brasileira, que fez parte de importantes momentos da história, o Jornalismo NIC preparou 5 músicas clássicas da MPB:

Ó Abre Alas

Considerada a primeira marchinha de carnaval da história, ela foi composta em 1899 por Chiquinha Gonzaga, quando tinha 52 anos. A música consolidou o carnaval que o Brasil conhece hoje: um grande espetáculo de tradição e cultura. Além de ter grande importância histórica, “Ó Abre Alas” foi revolucionária por ter sido escrita por uma mulher no século XIX. Hoje, ela já é de domínio público, ou seja, não tem direitos autorais, porque a autora, Chiquinha Gonzaga, faleceu há mais de 70 anos.

Construção

A música feita por Chico Buarque é considerada uma de suas canções mais emblemáticas. Ela foi composta em dodecassílabos (versos que apresentam doze sílabas simétricas), terminando em proparoxítona. Com extrema apuração técnica, Chico coloca em pauta uma crítica social: ele tem como personagem principal um membro do proletariado. A música narra a vida e a morte de um trabalhador da construção civil (trabalho em crescimento na década de 70, durante a Ditadura Militar), fazendo alusão aos acidentes de trabalho que ocorriam frequentemente. “Construção” foi considerado pela revista Rolling Stone, em 2009, a melhor música brasileira de todos os tempos.

Garota de Ipanema

Criada por Vinícius de Moraes e Toquinho em 1962, é uma das músicas mais conhecidas da MPB. De acordo com a editora do grupo Universal, “Garota de Ipanema” é a segunda música mais tocada do planeta, atrás apenas de “Yesterday”, dos Beatles. Ainda para a editora, é impossível contabilizar a quantidade de vezes que a canção foi interpretada, mas, em 2012, o número chegava perto de 500. Entre muitas das interpretações, uma reconhecida mundialmente foi a versão em inglês com Frank Sinatra e Tom Jobim.

Asa Branca

Feita em 1947 por Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, a música de lamento retrata a dificuldade da seca no sertão nordestino. A canção tem esse nome porque, segundo uma tradição do Nordeste brasileiro, a ave chamada Asa Branca, quando vai embora, significa que a região vai passar por uma longa seca. A música é a mais conhecida de Luiz Gonzaga e tem sua canção repercutida por diversas gerações, sendo gravada por grandes nomes da MPB, como Caetano Veloso e Elis Regina.

Aquarela do Brasil

Composta pelo mineiro Ary Barroso em 1939, a música é considerada uma das mais populares canções brasileiras de todos os tempos. Exaltando as qualidades e a beleza do país, “Aquarela do Brasil” inaugurou o samba-exaltação, de natureza ufanista. Por sua propaganda gratuita favorável não somente ao Brasil, mas também ao governo de Getúlio Vargas, a música foi aprovada pelo Departamento de Imprensa e Propaganda – DIP para promover o governo getulista.

Um comentário em “5+ Clássicos da MPB

  • 31 de agosto de 2017 em 14:27
    Permalink

    Gostei muito do conteúdo.Fico aguardando os próximos.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php