XIX Festival Eleazar de Carvalho enche de música o campus da Unifor

Por Clara Menezes

A Universidade de Fortaleza entrou de férias desde a metade de junho e, como é esperado, o silêncio na universidade predominou. Com todos os seus alunos de férias, a Unifor praticamente ficou vazia, sendo frequentada quase que unicamente por seus funcionários. No entanto, o XIX Festival Eleazar de Carvalho trouxe a beleza da música clássica para o silêncio das férias da universidade. “Durante as aulas, a Unifor é muito tumultuada, mas, nas férias, não tem ninguém. Essa música agora é boa, agradável e calma”, diz o jardineiro da Unifor, Clovis Eduardo, 49.

“Durante as aulas, a Unifor é muito tumultuada, mas, nas férias, não tem ninguém. Essa música agora é boa, agradável e calma” (Clovis Eduardo)

O XIX Festival Eleazar de Carvalho, em homenagem ao importante maestro brasileiro, será realizado, este ano, do dia 2 a 23 de julho no Teatro Celina de Queiroz, na Universidade de Fortaleza (Unifor). O evento tem envolvido o campus da Unifor de música. Em cada canto dos jardins é possível ver estudantes tocando seus violinos, flautas e violoncelos. Os sons de piano e coral ecoam das salas de aula, onde todos se preparam para suas apresentações, quando levarão a música clássica para os ouvidos do cearense. O evento gratuito é produzido pela Fundação Eleazar de Carvalho e tem como patrocinadores a Fundação Edson Queiroz, a Prefeitura de Fortaleza e o Governo do Estado do Ceará.

Festival Eleazar de Carvalho

 

O festival tem direção artística da pianista Sônia Muniz de Carvalho, viúva de Eleazar (1912-1996), e ocorre desde 1999. Além de proporcionar todos os dias apresentações de música erudita na Unifor, o evento oferece aulas de aperfeiçoamento com renomados mestres nacionais e internacionais. Cursos de Regência Orquestral, Regência Coral, Prática de Orquestra e Banda, Coral, canto, instrumentos de cordas, sopros, piano, percussão e violão clássico são oferecidos aos jovens instrumentistas que passaram pela seleção.

Os músicos inscritos têm a oportunidade de participarem do Concurso Jovens Solistas. O vencedor poderá atuar à frente de uma orquestra sinfônica. No entanto, apenas em novembro, durante a Semana Eleazar de Carvalho, será realizado o Grande Concurso, reunindo todos os ganhadores do concurso de cada região para competirem entre si.

O festival é importante, também, para a divulgação da música erudita no Ceará. Para a coordenadora do evento Laura Ventura, “na cultura do nordeste, a música erudita não predomina, então, a gente queria essa interação. Com o festival, as pessoas têm a oportunidade de abrir seu conhecimento para uma cultura diferente”, considera.

“Na cultura do nordeste, a música erudita não predomina, então, a gente queria essa interação. Com o festival, as pessoas têm a oportunidade de abrir seu conhecimento para uma cultura diferente” (Laura Ventura)

Novas oportunidades

O Festival Eleazar de Carvalho, que ocorre todos os anos no Nordeste, traz oportunidades únicas para as pessoas selecionadas tocarem em uma orquestra. “A experiência do festival é extremamente importante, porque eu tenho a chance de conhecer gente diferente, de todos os lugares, e de estudar com professores renomados”, conta o estudante de Música da Universidade Católica de Santos (Unisantos), Victor Hugo da Cruz, 19, que veio de São Paulo para participar do evento.

Além disso, os participantes que seguiram um estilo musical pouco escutado no Brasil podem pôr em prática a música que treinaram por anos. “Eu tive meu primeiro contato com a música erudita em um projeto social, fazendo aula de flauta transversal”, conta Victor. “Meu professor recomendou que eu estudasse o oboé, porque é um instrumento bonito e menos concorrido que a flauta transversal. Então, meu pai me inscreveu em 2008 e eu iniciei meus estudos no instrumento que toco até hoje”, acrescenta o estudante. Segundo ele, foi quando entrou na Escola Municipal de São Paulo que ele começou a aprimorar mais seu talento.

“Meu professor recomendou que eu estudasse o oboé, porque é um instrumento bonito e menos concorrido que a flauta transversal. Então, meu pai me inscreveu em 2008 e eu iniciei meus estudos no instrumento que toco até hoje” (Victor Hugo da Cruz)

Eleazar de Carvalho

Eleazar de Carvalho é cearense. Foto: Reprodução.

Nascido em Iguatu, Ceará, no dia 28 de junho de 1912, Eleazar de Carvalho é de grande importância para a divulgação da música erudita no Brasil. Em 1928, morando no Rio de Janeiro, ele participava da Banda dos Fuzileiros Navais. Foi apenas um ano depois que Eleazar entrou para o Teatro Municipal do Rio de Janeiro, onde compôs uma ópera chamada “O Descobrimento do Brasil”.

Em 1947, Eleazar se tornou assistente de Koussewitzky, compositor musical da Orquestra Sinfônica de Boston, durante o período de 1924 até 1949. Após esse impulso em sua carreira, o regente brasileiro passou a reger a Philadelphia Symphony Orchestra e se tornou extremamente consagrado como maestro.

Depois de reconhecido, Eleazar ensinou em diversas universidades americanas, como a Julliard. No entanto, voltou para o Brasil, onde foi diretor artístico e regente da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, que dirigiu até sua morte, em 1996.

Programação

O XIX Festival Eleazar de Carvalho ocorre do dia 2 de julho ao dia 23 de julho no Teatro Celina de Queiroz. Confira:

http://www.unifor.br/index.php?option=com_content&view=article&id=9196%3Afestival-eleazar-de-carvalho&catid=223%3Aem-cartaz&Itemid=1173&limitstart=3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php