E-Sports alcança status de esporte profissional

Por Matheus Miranda

Se você contasse para a sua avó que videogame não é mais ‘‘aquela coisa que estraga a TV’’, nem ‘‘brinquedo para criança’’, e que na verdade é um espaço para jogadores profissionais, que pagam aluguel com o dinheiro da jogatina, ela continuaria a acreditar que é brinquedo para criança. Mas, segundo a consultoria Newzoo, mais de 40% da população jovem mundial tenta ou almeja que os e-Sports, ou esportes eletrônicos, se tornem efetivamente uma modalidade desportiva profissional.

Por outro lado, algumas modalidades que exigem alto desempenho mental já conseguiram quebrar esse tabu, como o xadrez, por exemplo, que é considerado esporte pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Mas isso se deu pelo fato do xadrez ser um jogo que requer um raciocínio rápido e estratégias elaboradas.

O fato é que os jogos eletrônicos também requerem estratégias, movimentos ágeis e exigem raciocínio. É por isso que ele já é considerado um esporte em outros países. Inclusive, nos Estados Unidos criou um visto de atleta para os jogadores que permite a entrada e saída do país.

Igual aos outros esportes

O jogo League of Legends no ano passado teve mais de 67 milhões de jogadores. Foto: reprodução.

Os videogames não são mais um ‘‘bico’’, e sim uma modalidade concreta de carreira. Universidades particulares americanas estão oferecendo bolsas de estudos para jogadores de League of Legends (LoL), o mais rentável. Gamers profissionais viajam o mundo todo em busca de prêmios milionários e campeonatos, que estão começando a aparecer até mesmo no Brasil.

Jogadores tendem a ver o seu trabalho como um esporte, por entenderem e viverem na pele as pressões e treinamentos exigidos diariamente. Luciano dos Santos, 26, é um jogador profissional de League of Legends. Para ele, ‘‘basta ter o mínimo conhecimento de como funciona o e-Sport para saber que deve, sim, ser considerado um esporte, assim como qualquer outro tradicional. Como jogadores, devemos seguir todos os aspectos de outros esportes como treinamento, dedicação, disciplina e estudo’’.

‘‘Como jogadores, devemos seguir todos os aspectos de outros esportes como treinamento, dedicação, disciplina e estudo’’ (Luciano Santos)

Em contrapartida, o estudante e admirador dos jogos eletrônicos Sandro Arruda, 23, acredita que existem dificuldades para que o e-Sport seja classificado como um esporte profissional. ‘‘Percebo que existem muitas dificuldades aqui, em nosso país. Os motivos são vários, desde a falta de incentivo, reconhecimento e a visão de que games são apenas um hobby, por exemplo’’, explica Sandro, embora acredita que é necessário reconhecer o e-Sport como uma modalidade esportiva.

‘‘Percebo que existem muitas dificuldades aqui em nosso país, os motivos são vários, desde a falta de incentivo, reconhecimento e a visão de que games são apenas um hobby, por exemplo’’ (Sandro Arruda)

Crescimento exponencial

No caso do jogo LoL, desde que o servidor brasileiro de League of Legends chegou, podemos ver o empenho da empresa Riot Games para incentivar o reconhecimento dos jogos eletrônicos em nosso país. E devido a isso, o jogo teve um crescimento exponencial no que diz respeito ao número de jogadores, que só no ano passado foram mais de 67 milhões. Esse fato, junto com o crescimento de outros games, faz com que o e-Sports seja uma tendência.

Outro fato que não pode ser ignorado é que ainda no ano passado o LoL arrecadou mais de 1 bilhão de reais, só aqui no Brasil. Com o mercado competitivo e com o crescimento do número de jogadores, fica impossível ignorar como esse jogo se tornou um grande fenômeno do esporte eletrônico.

Na Coréia do Sul, por exemplo, os e-Sports são considerados um esporte desde 2000, com a criação da Korea e-Sports Association (KeSPA). Aprovada pelo Ministério da Cultura, Esporte e Turismo no país, a KeSPA tem como objetivo fazer do e-Sports um evento oficial para solidificar a posição dos jogadores em todos os setores.

Passos estão sendo feitos em direção a uma maior aceitação do e-Sport, ainda que o reconhecimento não seja completo. Por aqui, por enquanto videogame ainda não é um ‘‘tipo de esporte’’.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php