Funk norte-americano dos anos 70 é resgatado por Childish Gambino

Por Letícia Feitosa

Awaken, my Love” é o terceiro álbum de estúdio de Childish Gambino e foi lançado no final de 2016. O disco é uma homenagem ao funk norte-americano setentista e tenta resgatar a sonoridade daquela época. A maioria das faixas têm influências de bandas e artistas ícones do gênero nos anos 70, mas as referências já aparecem na capa do álbum. A imagem é uma releitura futurista da capa do “Maggot Brain”, de 1971,  da banda Funkadelic, disco preferido do artista norte-americano.

Os álbuns anteriores do artista, Camp (2011) e Because The Internet (2013), são voltados mais para o rap e hip hop, porém ele sempre gostou de passear por ritmos como R&B (rhythm and blues) e pop. Após dois anos sumido das redes sociais, Gambino surge no dia 2 de dezembro com o “Awaken, my Love”, um disco denso, de 11 faixas, que traz um funk psicodélico já na faixa de abertura, “Me and Your Mama”. As diversas faixas do disco são uma mistura de soul, funk, R&B, rock e melodias que se misturam com os experimentos vocais de Childish Gambino. Ao longo de todo o álbum, encontramos referências que vão de James Brown à banda de rock progressivo Pink Floyd.

Um dos artifícios usados para compor as músicas, foi o uso dos corais gospel norte-americanos. A segunda faixa, por exemplo, “Have Some Love”, inspirada em “Can You Get to That”, do Funkadelic, tem o refrão todo cantado em coral. “Boogieman” também traz um pouco desta referência, além de carregar na letra uma crítica social à violência contra os negros nos Estados Unidos. A sexta faixa, “Redbone” é uma mensagem ao seu filho recém-nascido, assim como a maioria das músicas do álbum, e é possível identificar uma influência do artista Prince no jeito que Gambino canta essa música especificamente, por conta dos diversos agudos. A décima faixa, “The Night Me and Your Mama Met”, é inteira instrumental e tem riffs de guitarra de Gary Clark Jr., guitarrista de blues e blues-rock.

“Awaken, my Love” não é um álbum tão comercial. Há músicas como “Zombies” e “California” que podem não agradar muito por causa da maneira extravagante como Gambino canta estas faixas. O disco foi produzido por Ludwig Göransson e pelo próprio Childish e foi lançado pela gravadora Glassnote, que já lançou cds das bandas Phoenix e Mumford & Sons. “Awaken, my Love” é um cortejo à música afro-americana dos anos 70. O artista colocou características do som da época e adicionou elementos da música atual, criando uma voz própria para este disco que saúda o funk norte-americano.

Quem é Childish Gambino?
Donald Glover. Foto: reprodução

“Childish Gambino” é o alter ego musical de Donald Glover. Glover, 33, é cantor, rapper, ator, produtor, roteirista, diretor e humorista. Em 2016, além de lançar o “Awaken, my Love”, ele criou e estrelou na série “Atlanta” na emissora FX. A série ganhou Globo de Ouro em duas categorias: Melhor Série de Televisão Musical ou Comédia e Melhor Ator em Série Musical ou Comédia. Donald já escreveu para a série “30 Rock” (2016) e foi um dos protagonistas de “Community” (2013).
O artista só é conhecido como Childish Gambino no cenário musical, onde tem três álbuns de estúdio, sete mixtapes e dois EPs. Gabino escreve e produz as suas próprias músicas. Seus primeiros mixtapes foram lançados de forma independente e em formato digital, até assinar o contrato com a gravadora Glassnote  e gravar seu primeiro álbum “Camp” em 2011.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php