Jovens começam a fumar cada vez mais cedo

Por Matheus Miranda

Aceitação social, influência de amigos tanto no colégio como nas universidades ou até mesmo curiosidade, são apenas alguns dos inúmeros motivos que levam um jovem a colocar o primeiro cigarro na boca. Muitos que fumam entram nessa “cortina de fumaça” antes de completar a maioridade. A Vigitel (Vigilância de Fatores de Riscos para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) comprova que a população de Fortaleza, acima dos 16,  registrou um percentual de 23,6% de fumantes e, ainda, de 17,4% de fumantes passivos (pessoas que não fumam, mas convivem com fumantes).

A principal substância ativa encontrada naturalmente no tabaco – matéria prima que dá origem ao cigarro – é a nicotina, poderoso estimulante do sistema nervoso central. Com o início do consumo dessa substância, o cérebro exige quantidade cada vez maiores, e isso explica porque as pessoas tornam-se viciadas. Apenas na fumaça do cigarro existem mais de 4.770 substâncias tóxicas como alcatrão, monóxido de carbono e até  substâncias radioativas como polônio 210 e cádmio, que são encontradas nas baterias de automóveis.

Segundo a OMS (O Ministério da Saúde), o fumo é responsável por 30% de mortes ocasionadas por câncer, sendo 90% dos casos, de pulmão. Além disso, o tabagismo está ligado a origem de tumores malignos de outros órgãos como:  boca, laringe, pâncreas, rins, bexiga, colo do útero e esôfago.

Infográfico: Ravelle Gadelha

Problemas na sociedade

Mesmo com tantas campanhas de conscientização contra o cigarro, o número de jovens que decide embarcar no vício é cada vez maior.  Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o tabaco é a segunda droga mais consumida entre os adolescentes, o que em parte se deve às facilidades  e estímulos para obtenção do produto, como por exemplo, o baixo custo.    

A faixa etária mais afetada, de acordo com o cardiologista Marcos Vieira, 47, são os jovens entre 15 a 24 anos. ‘‘Em média, o usuário vive dez anos a menos que um não-fumante. As substâncias introduzidas no corpo de um adolescente pelo cigarro, causam danos imediatos e acumulados, prejudicando a saúde do indivíduo, e elevando os riscos de propagação de diversas doenças’’, relata o cardiologista. Um chamariz para o consumo são as propagandas, que até pouco tempo, associavam o tabaco às imagens de beleza, sucesso, liberdade, poder, inteligência e outros atributos desejados pelos jovens.

‘‘As substâncias introduzidas no corpo de um adolescente pelo cigarro, causam danos imediatos e acumulados, prejudicando a saúde global do indivíduo e elevando os riscos de propagação de diversas doenças’’ ( Marcos Vieira)

O estudante de Engenharia Mecânica Leonardo Ribeiro, 22, por exemplo, fuma há oito anos, ou seja, desde os 14. Ele começou escondido dos pais, já procurou ajuda médica e, apesar das consequências, continua a fumar. ‘‘Comecei sem influência de ninguém, apenas por curiosidade e vontade própria. Já tentei parar diversas vezes e em uma delas, até já procurei ajuda médica, porque percebi que estava gastando muito dinheiro com essa dependência’’. Leonardo ainda comenta que, quando tentou parar de vez com o cigarro começou a ficar estressado por qualquer besteira do dia a dia.

‘‘Já tentei parar diversas vezes e em uma delas, até já procurei ajuda médica, porque percebi que estava gastando muito dinheiro com o meu vício’’ (Leonardo Ribeiro)

Equivocadamente muitas pessoas acreditam que o tabagista é um ‘‘viciado’’, uma pessoa que não deixa de fumar porque quer. Na verdade, não é bem assim. Quem fuma sofre de dependência química, ou seja, é alguém que ao tentar deixar de fumar, se confronta com grandes desconfortos físicos e psicológicos que trazem sofrimento, e que pode impor a necessidade de várias tentativas até que finalmente consiga abandonar o tabaco.

Parar de fumar sempre vale a pena em qualquer momento da vida, mesmo que o fumante já esteja com alguma doença causada pelo cigarro, tais como câncer, enfisema ou derrame. A qualidade de vida melhora muito ao parar de fumar. Como por exemplo, a dona de casa Rosângela Mendonça, que começou a fumar desde os seus 18 anos de idade, e hoje aos 45, sabe que é preciso abandonar esse vício. ‘‘Quando eu subo a escada aqui de casa já sinto cansada. Uma escadinha a toa, parece que tem 12 degraus. Beber, graças a Deus, já tem mais de sete anos que eu não boto uma bebida de álcool na boca, o cigarro que está sendo difícil. Às vezes eu passo 12 horas sem fumar, mas quando eu chego em casa adeus! Não passo sem ele”.

‘O cigarro que está sendo difícil. Às vezes eu passo 12 horas sem fumar, mas quando eu chego em casa adeus! Não passo sem ele” (Rosangela Mendonça)  

Evite esse vício

Os benefícios de parar de fumar são bem conhecidos. Mas o poder viciante da nicotina associado ao hábito diário e a pressão de amigos ou familiar tornam a decisão de largar o cigarro muito difícil. Segundo o cardiologista Marcos Viana, a dificuldade existe sim, porém, depende exclusivamente do fumante em querer parar de fumar. ‘‘Evitar o cheiro do cigarro é uma das principais dicas para quem deseja parar de fumar, por isso, deve-se lavar as roupas, cortinas, lençóis, toalhas e qualquer outro objeto que possa ter cheiro de cigarro’’.

Além disso, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro Geográfico Estatístico), um fumante diário de cigarros industrializados gasta em média R$ 78,43 por mês com os cigarros. Isso dá quase mil reais por ano. O Brasil em 2015, tinha mais ex-fumantes (18,2%) do que fumantes (17,4%), pelo menos entre a população maior  de 30 anos de idade. E a proporção de tabagista está caindo ano após ano.

A epidemia global do tabaco mata quase 6 milhões de pessoas por ano. Destas, mais de 600 mil são fumantes passivos. Se nada for feito, estão previstas mais de 8 milhões de mortes por ano a partir de 2030. Mais de 80% dessas mortes evitáveis atingirão pessoas que vivem em países de baixa e média rendas.

Este ano, a OMS definiu como tema as embalagens padronizadas de cigarro e correlatos para ser trabalhado internacionalmente. Portanto, se você quer parar de fumar comece escolhendo uma data para ser o seu primeiro dia sem cigarro. Este dia não precisa ser um dia de sofrimento. Faça dele uma ocasião especial e procure programar outra coisa que goste de fazer para se distrair e relaxar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php