Consumo excessivo de álcool é um perigo crescente no Brasil

Por Letícia Feitosa

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um relatório global sobre álcool e saúde. Conforme o mesmo, o Brasil alcançou, em 2014, uma média de consumo de  8,7 litros por ano de álcool por pessoa, uma quantidade superior à média mundial. O relatório também afirma que os homens brasileiros consomem 13,6 litros por ano, enquanto as mulheres consomem 4,2 litros.

Este consumo ainda é crescente no país, principalmente entre os jovens. De acordo com uma pesquisa divulgada em 2016 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 55% dos jovens que cursam o último ano do fundamental já experimentaram bebidas alcoólicas.

Pesquisas mostram o aumento do consumo de álcool entre os jovens. Foto: reprodução/Cool.hu

Há diversos motivos que podem levar estes jovens a ingerir álcool ainda no início da adolescência. Segundo os pesquisadores Sílvio Éder da Silva e Maria Padilha, nesta fase de descobertas, os indivíduos estão formando as suas personalidades e individualidades. Também é a época em que surge a necessidade de aceitação, o que é capaz de deixá-los mais propensos a serem influenciados por ações que os levem a fazer parte de algum grupo. Muitas vezes, é dessas influências que nasce a vontade de beber, por exemplo.

Caio Menezes (nome fictício), 19 anos, começou a beber aos 14. O jovem afirma que houve outros motivos, além da influência dos amigos. “Acredito que eu tenha sido influenciando, mesmo que indiretamente, a experimentar bebidas alcoólicas. Além disso, existem também os fatores ‘intrínseco’, eu diria, como curiosidade, vontade própria, maneira temporária de lidar com a timidez etc.”, confessa.

A cultura do álcool existente no Brasil é uma das causadoras do consumo excessivo de bebidas alcoólicas registrado nos indicadores de saúde. Este consumo é bastante ligado a comemorações e está presente na vida de muitos como um pretexto de socialização. Maristela Monteiro, assessora sobre abuso de substâncias e álcool da OMS, em entrevista à BBC mundo, afirma que esta cultura é real. Para ela, o desenvolvimento econômico e os novos valores importados da globalização são causadores da tendência do consumo excessivo do álcool.

Porém, esta cultura não está presente apenas no Brasil. Segundo a OMS, a média de consumo na América Latina e no Caribe é de  8,4 litros de álcool por ano, 2,2 litros a mais do que a média mundial.

Problemas causados pelo álcool

Quando ingerido exageradamente, o álcool se torna um vício. A síndrome de dependência, o alcoolismo, acontece quando o indivíduo tem um constante e intenso desejo de beber. Este vício, se não tratado, é capaz de interferir no rendimento da vida familiar e profissional do alcoolatra.

O consumo excessivo de bebidas alcoólicas pode causar, além da dependência, diversos outros problemas de saúde. De acordo com o psicanalista Dr. Mario Rodrigues Louzã Neto, este hábito afeta diretamente os sistemas do organismo, como os sistema cardiovascular e o sistema nervoso. O aparelho gastrointestinal também é prejudicado, visto que o uso abusivo do álcool pode resultar em úlceras, gastrites, inflamações no estômago e, se atingir o fígado, levar à cirrose.

O uso nocivo do álcool também gera acidentes no trânsito. De acordo com o Centro de informações sobre saúde e álcool (CISA), motoristas alcoolizados são responsáveis por 3,3 milhões de mortes que acontecem todos os anos. Segundo o relatório da OMS, estima-se que 18% dos acidentes de trânsito envolvendo o uso de bebidas alcoólicas  no Brasil são de motoristas homens e 5,2%, mulheres.

Confira a lista dos dez países que mais consomem bebidas alcoólicas nas Américas, conforme a OMS:

  1. Granada – 12,5 litros
  2. Sta Lucia – 10,4 litros
  3. Canadá – 10,2 litros
  4. EUA – 9,2 litros
  5. Chile – 9,6 litros
  6. Argentina – 9,3 litros
  7. Venezuela – 8,9 litros
  8. Paraguai – 8,8 litros
  9. Brasil – 8,7 litros
  10. Belize – 8,5 litros

Um comentário em “Consumo excessivo de álcool é um perigo crescente no Brasil

  • 13 de setembro de 2017 em 19:51
    Permalink

    O álcool deveria ser considerado ilegal, pois o mesmo causa milhões de vitimas por causa do seu consumo, mas como isso gera um capital grande, eu acredito q ele não parara de ser vendido. o minimo seria fazer igual o cigarro, fazer um alerta para aqueles q consomem tais bebidas e, deveria proibir o incentivo dele como propagandas televisavas e impressas.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php