Ações sustentáveis em prol do Dia Mundial sem Carro acontecem na capital

Por Larissa Carvalho e Letícia Feitosa

O município de Fortaleza possui um intenso tráfego de carros. Segundo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-CE), o número de veículos circulando pela cidade é de 1.053.167 (dados até julho de 2016). Visando a amenizar estes dados, a população conta com várias ações que incentivam uma mobilidade urbana mais sustentável. Grupos como a Associação dos Ciclistas Urbanos de Fortaleza (Ciclovida), promovem encontros para debater o uso da bicicleta como meio de transporte mais saudável e barato.

Há quatro anos, Gleiciane Souza, resolveu adotar a bicicleta como principal meio de transporte. Foto: Arquivo Pessoal

Gleiciane Souza, 19, é estudante de Psicologia e há quatro anos resolveu adotar a bicicleta como principal meio de transporte para vir à faculdade. “É mais rápido, então eu prefiro vir de bicicleta”, declara. Para a ciclista, a infraestrutura que a capital dispõe é boa, mas ainda falta melhorar em alguns aspectos. Gleiciane conta que algumas ciclofaixas necessitam de manutenção, “Às vezes tem algum buraco ou uma ondulação, e  quem anda de bicicleta, sente bastante.”

O “Dia Mundial sem Carro”, celebrado nesta quinta-feira (22), é uma data que visa promover alternativas mais sustentáveis de locomoção nos centros urbanos. Gleiciane conta que conheceu o movimento recentemente. “Ano passado teve uma mobilização aqui em Fortaleza, daí eu conheci [o dia mundial sem carro]. Era pra evitar o excesso do uso de carros, o apoio às bicicletas e falar sobre o meio ambiente”, relata.   

Desde 2012, houve um grande investimento na construção de ciclofaixas e de ciclovias na capital cearense. A meta da prefeitura de Fortaleza é terminar o ano de 2016 com 216 quilômetros de malha cicloviária. O município também dispõe de postos de bicicletas compartilhadas, que tem sido um fator importante para o crescimento da cultura do ciclismo entre os fortalezenses.

Em Fortaleza, para incentivar a suspensão do uso do carro, haverá atividades que contam com o apoio de grupos aderentes à causa. A proposta maior é fazer com que a população repense as formas de mobilidade urbana. Desde 2008, no Dia Mundial sem Carro, a Universidade de Fortaleza (Unifor) promove uma pedalada anual, organizada pelo Laboratório de Estudos das Relações Humano-Ambientais (LERHA). A pedalada deste ano acontecerá no dia 25 de setembro, com início no Parque Ecológico do Cocó, terminando no campus da Unifor.   


Associações de ciclistas também se organizam na data para debater sobre o não uso do carro. A Ciclovida realiza um Bike Blitz na próxima quinta (22), com o intuito de conversar sobre política pública e segurança. “Na atividade, os voluntários ficam em um ponto de uma ciclovia, onde realizam a tradicional contagem de ciclistas em horário de pico”, segundo um representante da associação (via Facebook). No encontro, serão oferecidos brinde e manutenção às bicicletas. A Bike Blitz acontecerá na Avenida Domingos Olímpio, das 6h às 8h, e na Avenida Washington Soares, das 17h às 19h.

Uma invenção francesa

Os automóveis sempre causaram inúmeros prejuízos ao meio ambiente ao longo do tempo. Este transporte emite poluentes, como o gás carbônico (CO²), para atmosfera, o que acarreta a intensificação do efeito estufa e o aquecimento global. Consciente destes problemas, a França instituiu em 1997 o “Dia Mundial sem Carro”, comemorado no dia 22 de setembro. Atualmente este dia é comemorado em mais 38 países.

O objetivo maior da data é promover formas alternativas de deslocamento menos poluentes nos centros urbanos. Desde 2001, várias metrópoles se mobilizam com a causa no Brasil, promovendo eventos como caminhadas e pedaladas, graças às iniciativas de movimentos ambientalistas e cicloativistas.

Box: Ravelle Gadelha

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php