Fernanda Ferreira estagiária da VibeNIC

Projeto Olha A Gente Aqui. Foto: Pedro Vidal.

Por: Levi Aguiar

“A dança me incentivou a gostar de arte e me fez despertar o interesse pela comunicação, pela fotografia e pelo meu atual curso. Sou muito ligada a dança, filmes e exposições”.  Relata a estudante de Publicidade e Propaganda, Fernanda Ferreira, 26 anos, estagiária da VibeNIC.

Com 8 anos de idade, teve interesse em dança, especialmente, Jazz e Ballet. Essa paixão, na prática, se estendeu até os 17 anos. “Fiz dança no ensino fundamental, a dança foi uma das minhas paixões. Gosto de ver meus vídeos antigos de dança e uso o YouTube para aprender coreografias novas”. Essa paixão está presente até hoje em sua vida. Fernanda, diz que seu gênero preferido de filme são os musicais, justamente por envolver o canto e a dança. Seus filmes preferidos são: Chicago, Hairspray, Mamma Mia, Aladdin e muitos outros do gênero musical.

Fernanda tem como característica a curiosidade vinculada a uma vontade de aprender coisas novas e de se comunicar. Quando está se dedicando a algo, busca a imersão em projetos que lhe acrescentem experiências e conhecimentos. No seu atual curso, além de estagiária da VibeNIC, é monitora da disciplina de História da Comunicação. São essas características, curiosidade e dedicação, que fizeram ela se interessar por diversas áreas possíveis no âmbito dos cursos superiores. Estudou alguns semestres de Sistema de Informações, de Engenharia Elétrica e de Física, mas como carreira, optou seguir na Comunicação Social, além de concluir o curso de Inglês e estudar espanhol.

“A principal razão pela que me fez optar pelo curso de Publicidade e Propaganda foi as dicas de fotografia que meu amigo me dava. O interesse foi crescendo e aos poucos, eu que estava na Engenharia Elétrica, me vi decidida a mudar de curso. Mas antes disso, a depressão me fez parar tudo o que eu estava fazendo para dar atenção a minha saúde e a toda a carga de responsabilidades e conteúdos das outras duas graduações. Na época, eu fazia duas faculdades, era bolsista, não tinha férias, ou seja, minha rotina era uma loucura”.  Em entrevista, Fernanda ressalta a importância de reconhecer seus limites e buscar o devido acompanhamento para tratar suas dificuldades. Atualmente, ela faz tratamento psicológico no NAMI,  Núcleo de Atenção Médica Integrada, na Unifor, e comenta o quanto isso está lhe fazendo bem.

Sempre com muita empolgação, ela descreve a experiência de estar no NIC, dividindo o espaço com outros estagiários e o seu empenho em sempre estar aprendendo, “Aqui é mágico e encantador. Sempre achei o NIC convidativo e empolgante, aqui é um laboratório importantíssimo para nós estagiários, e eu tenho vontade de explorar o NIC de ponta a ponta. Eu sou muito curiosa, tenho um instinto curioso”.

Fê, Nanda, Fêzinha, Fernandinha, Nandinha (apelidos carinhosos dado a ela por seus amigos) é extrovertida, alegre, comunicativa, se entrega aos desafios da vida com muita paixão e está aberta ao diferente e ao novo, pois como ela mesmo diz sobre os diálogos  que tem com quem a cerca: gosto de conversar sobre tudo e tudo me interessa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *